SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.51 número5Avaliação clínica de pacientes submetidos à distração osteogênica no membro inferior em hospital universitárioÍndice de fadiga do músculo quadríceps femoral em atletas de futebol após reconstrução do ligamento cruzado anterior índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Ortopedia

versão impressa ISSN 0102-3616versão On-line ISSN 1982-4378

Resumo

MIYAZAKI, Alberto Naoki et al. Resultados do tratamento cirúrgico não artroplástico das fraturas da epífise proximal do úmero. Rev. bras. ortop. [online]. 2016, vol.51, n.5, pp.527-534. ISSN 0102-3616.  http://dx.doi.org/10.1016/j.rboe.2016.08.011.

OBJETIVO:

Avaliar os resultados dos pacientes com fraturas epifisárias tratados com redução e osteossíntese.

MÉTODO:

Entre outubro de 1996 e dezembro de 2009 foram operados 53 ombros (52 pacientes) com fraturas epifisárias. Foram excluídos os pacientes tratados com artroplastia primária e/ou que tinham seguimento inferior a dois anos. Foram reavaliados 34 ombros de 34 pacientes, 23 do sexo masculino, com média de 47 anos. A avaliação foi feita com a escala da UCLA.

RESULTADOS:

O tempo de seguimento pós-operatório médio foi de 50 meses. Doze pacientes evoluíram com resultados excelentes, sete bons, cinco regulares e dez maus (55,8% de resultados satisfatórios e 44,2% de insatisfatórios). O escore UCLA teve média de 26 pontos. As médias de mobilidade pós-operatória foram de 117° de elevação, 36° de RL e L1 de RM. No RX pós-operatório imediato, verificamos a redução anatômica em 17 pacientes (50%). A necrose foi constatada em 18 pacientes, seis grau II e 12 grau III. Sexo feminino e fraturas reduzidas anatomicamente foram estatisticamente melhores na escala da UCLA (p = 0,01 e p = 0,0001 respectivamente).

CONCLUSÕES:

O sexo feminino teve um valor médio do UCLA superior ao sexo masculino (p = 0,01). As fraturas reduzidas anatomicamente obtiveram UCLA superior (p = 0,0001) e um menor índice de necrose (p = 0,0001). A reconstrução das fraturas epifisárias levou a resultados satisfatórios em 55,8%, deve ser indicada para pacientes jovens e ativos.

Palavras-chave : Epifises/lesões; Fixação interna de fraturas; Fraturas do ombro/cirurgia; Ombro/cirurgia; Resultado do tratamento; Adulto.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )