SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.52 número1Avaliação biomecânica da fixação do tendão da cabeça longa do bíceps braquial por três técnicas: modelo em ovinosCorrelação entre a classificação radiográfica de Ahlbäck e o estado de conservação do ligamento cruzado anterior em gonartrose primária índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Ortopedia

versão impressa ISSN 0102-3616versão On-line ISSN 1982-4378

Resumo

MIYAZAKI, Alberto Naoki et al. Avaliação dos resultados do tratamento artroscópico da capsulite adesiva do ombro. Rev. bras. ortop. [online]. 2017, vol.52, n.1, pp.61-68. ISSN 0102-3616.  http://dx.doi.org/10.1016/j.rboe.2016.12.004.

OBJETIVO:

Avaliar os resultados das liberações artroscópicas feitas em pacientes com capsulite adesiva refratária ao tratamento conservador.

MÉTODOS:

Trabalho retrospectivo feito entre 1996 e 2012, com 56 ombros (52 pacientes) submetidos a cirurgia; 38 eram do sexo feminino e 28 tinham o lado dominante acometido. A média de idade foi de 51 (29-73) anos. O seguimento médio, de 65 (12-168) meses e o tempo médio de pré-operatório, de 8,9 (2-24) meses. Pela classificação de Zukermann, 23 casos foram considerados primários e 33 secundários. Com o paciente em decúbito lateral, fizemos a liberação circunferencial da cápsula articular: desbridamento articular, abertura do intervalo rotador, liberação do ligamento coracoumeral, capsulotomia anterior, posterior, inferior e finalmente, anteroinferior. A tenotomia do subescapular foi feita quando necessária. Todos foram submetidos a fisioterapia intensa no pós-operatório imediato. Em 33 ombros foi implantado o catéter interescalênico para infusão de anestésico. Os resultados funcionais foram avaliados pelos critérios do escore da University of California at Los Angeles (UCLA).

RESULTADOS:

Obtivemos melhoria do arco de movimento: aumento médio de 45° de elevação, 41° de rotação lateral e oito níveis vertebrais de rotação medial. Pelo escore da UCLA, tivemos 25 resultados excelentes (45%), 25 bons (45%), dois razoáveis (3%) e quatro ruins (7%). Os pacientes que fizeram capsulotomia inferior evoluíram melhor do que os que não fizeram. Apenas 8,8% dos pacientes que usaram cateter de infusão anestésico foram submetidos a manipulação no pós-operatório. Sete pacientes apresentaram complicações.

CONCLUSÃO:

Houve melhoria da dor e do arco de movimento. A capsulotomia inferior leva a melhores resultados. O uso do catéter interescalênico de infusão anestésica diminui o número de reabordagens.

Palavras-chave : Dor de ombro; Artroscopia; Bursite.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )