SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.26 suppl.1Motilidade esofágica após derivação gástrica em Y-de-Roux para obesidade mórbida: achados à manometria de alta resoluçãoAnálise de agrupamentos para a classificação de pacientes submetidos à cirurgia bariátrica Fobi-Capella índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


ABCD. Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva (São Paulo)

versão impressa ISSN 0102-6720

Resumo

BASTOS, Emanuelle Cristina Lins et al. Fatores determinantes do reganho ponderal no pós-operatório de cirurgia bariátrica. ABCD, arq. bras. cir. dig. [online]. 2013, vol.26, suppl.1, pp.26-32. ISSN 0102-6720.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-67202013000600007.

RACIONAL: A cirurgia bariátrica induz a uma média de perda de 60 a 75% do excesso de peso corporal, com máxima perda ponderal no período entre 18 e 24 meses de pós-operatório. Entretanto, vários estudos evidenciam que reganho ponderal ocorre a partir de dois anos da operação. OBJETIVO: Identificar fatores determinantes de reganho ponderal em usuários submetidos à cirurgia bariátrica. MÉTODOS: Estudo transversal prospectivo com 64 indivíduos submetidos à cirurgia bariátrica com tempo de pós-operatório > dois anos avaliados segundo o reganho de peso. As variáveis analisadas foram idade, sexo, escolaridade, classe econômica, atividade laboral relacionada à alimentação, tempo de pós-operatório, IMC, percentual de perda do excesso de peso, evolução ponderal, assiduidade no acompanhamento nutricional, estilo de vida, hábitos alimentares, auto-percepção do apetite, uso diário de suplementos nutricionais e qualidade de vida. RESULTADOS: Foram 57 (89%) mulheres e 7 (11%) homens, com idade de 41,76 ± 7,93 anos e tempo médio de pós-operatório de 53,4±18,4 meses. O peso e IMC médios foram, respectivamente, 127,48 ± 24,2 kg e 49,56 ± 6,7 kg/m2 no momento da operação. O peso e o IMC mínimos atingidos foram 73,0±18,6 kg e 28,3 ± 5,5 kg/m2, alcançados em 23,7±12 meses de pós-operatório. Reganho ponderal significativo ocorreu em 18 (28,1%) casos. O tempo médio de pós-operatório de 66±8,3 meses e a atividade laboral relacionada à alimentação apresentaram significância estatística (p=000 e p=0,003) para o reganho ponderal. CONCLUSÃO: A cirurgia bariátrica promove redução adequada do excesso de peso corporal, com reganho ponderal significativo observado após cinco anos; o tempo pós-operatório, a atividade laboral estimulando alimentação fora de casa foram os fatores determinantes para a ocorrência do reganho de peso.

Palavras-chave : Bypass gástrico; Cirurgia bariátrica; Ganho de peso.

        · resumo em Inglês     · texto em Português | Inglês     · Português ( pdf ) | Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons