SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.27 número1Bariatric surgery reverses metabolic risk in patients treated in outpatient levelHepatectomy: a critical analysis on expansion of the indications índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


ABCD. Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva (São Paulo)

versión impresa ISSN 0102-6720

Resumen

SOUZA, Lourdes Bernadete Rocha de; PEREIRA, Rayane Medeiros; SANTOS, Marquiony Marques dos  y  GODOY, Cynthia Meida de Almeida. Frequência fundamental, tempo máximo de fonação e queixas vocais em mulheres com obesidade mórbidaFundamental frequency, phonation maximum time and vocal complaints in morbidly obese women. ABCD, arq. bras. cir. dig. [online]. 2014, vol.27, n.1, pp.43-46. ISSN 0102-6720.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-67202014000100011.

Racional:

Sujeitos obesos apresentam deposição anormal de gordura no trato vocal que podem interferir nos parâmetros acústicos da voz e consequente queixa vocal.

Objetivo:

Verificar a frequência fundamental, o tempo máximo de fonação e as queixas vocais de mulheres com obesidade mórbida.

Métodos:

Estudo observacional, transversal e descritivo. Participaram 44 mulheres com obesidade mórbida, idade média de 42,45 (±10,31) anos de idade como grupo estudo e 30 mulheres sem obesidade, grupo controle, com média de 33,79 (±4,51) anos de idade. A gravação da voz foi realizada em ambiente silencioso, em laptop utilizando o programa ANAGRAF de análise acústica dos sons da fala. Para extrair os valores de frequência fundamental foi solicitado a emissão da vogal /a/ em intensidade e altura habituais, por um período em média de três segundos. Após a gravação da voz, foi solicitado a produção sustentada das vogais [a], [i] e [u] em intensidade e altura habituais, utilizando-se de cronômetro para mensurar o tempo que cada participante podia sustentar cada vogal.

Resultados:

As mulheres com obesidade mórbida, na sua maioria 31(70,5%) apresentaram queixa vocal, com percentual maior para as queixas de cansaço ao falar 20(64,51%) e falhas na voz 19(61,29%) seguidos de ressecamento na garganta 15(48,38%) e esforço ao falar 13(41,93%). Não houve diferença estatísticamente significante da média da frequência fundamental da voz em ambos os grupos; no entanto houve diferença significante na média do tempo máximo de fonação entre os dois grupos.

Conclusão:

O aumento de tecido adiposo no trato vocal interferiu nos parâmetros vocais do grupo analisado.

Palabras clave : Obesidade mórbida; Voz; Tecido adiposo; Cirurgia bariátrica.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés | Portugués     · Inglés ( pdf ) | Portugués ( pdf )