SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.27 número1Frequência fundamental, tempo máximo de fonação e queixas vocais em mulheres com obesidade mórbidaCombined liver-kidney transplantation: experience at a brazilian university hospital índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


ABCD. Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva (São Paulo)

versión impresa ISSN 0102-6720

Resumen

LOPES-JUNIOR, Ascêncio Garcia; BELEBECHA, Vanessa  y  JACOB, Carlos Eduardo. Hepatectomia: uma análise crítica da ampliação das indicações. ABCD, arq. bras. cir. dig. [online]. 2014, vol.27, n.1, pp.47-52. ISSN 0102-6720.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-67202014000100012.

Racional:

As ressecções hepáticas evoluíram, tornando-se mais seguras, permitindo ampliação das indicações.

Objetivo

: Avaliar os resultados com ampliação da indicação.

Método

: Estudo prospectivo de todas as hepatectomias realizadas para ressecção de tumores hepáticos. Foram incluídos pacientes com tumores primários e secundários, benignos e malignos e anotados idade, gênero, diagnóstico pré-operatório, tratamento realizado no pré-operatório, tipo de operação realizada, necessidade de transfusão, exame anatomopatológico final e evolução pós-operatória. Os pacientes foram divididos em dois grupos: grupo A, aqueles com indicação tradicional de hepatectomia e grupo B, com indicação ampliada (tumor nos dois lobos hepáticos, ressecções extensas de cinco ou mais segmentos, fígados cirróticos e pós-quimioterapia com drogas hepatotóxicas).

Resultados:

Foram operados 38 pacientes e realizadas 40 operações, 28 no grupo A e 10 no B. A média de idade foi 57,7 anos, sendo 25 mulheres. Três do grupo B foram operados em dois tempos. Os grupos A e B receberam em média 1,46 e 5,5 concentrados de hemácias por operação, respectivamente. Os pacientes do grupo A tiveram três complicações (10,7%) e os do B seis (60%). A mortalidade no grupo A foi de 3,5% (n=1) e no grupo B ocorreram quatro óbitos (40%). Os exames de imagem foram sensíveis para presença de tumor, mas não para definir o tipo. As transfusões, a morbidade e a mortalidade foram maiores no grupo com ampliação das indicações e operações mais extensas.

Conclusão:

Deve-se indicar a biópsia hepática com maior frequência no pré-operatório, assim como a embolização ou ligadura do ramo da veia porta. Para diminuir transfusão intra-operatória há necessidade de trabalho conjunto com o serviço de anestesia e usar equipamentos modernos para secção do parênquima.

Palabras clave : Hepatectomia; Ressecções hepáticas; Tumores hepáticos; Morbidade; Mortalidade.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés | Portugués     · Inglés ( pdf ) | Portugués ( pdf )