SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.27 número1Step-by-step esophagojejunal anastomosis after intra-corporeal total gastrectomy for laparoscopic gastric cancer treatment: technique of "reverse anvil" índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Revista

Articulo

Indicadores

Links relacionados

Compartir


ABCD. Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva (São Paulo)

versión impresa ISSN 0102-6720

Resumen

MENDES, Carlos Ramon Silveira et al. Tratamento cirúrgico videoassistido da fístula anorretal: considerações sobre a técnica e resultados preliminares da primeira experiência brasileira. ABCD, arq. bras. cir. dig. [online]. 2014, vol.27, n.1, pp.77-81. ISSN 0102-6720.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-67202014000100018.

Racional

: A fístula anorretal é um trajeto epitelizado que estabelece comunicação de origem infecciosa entre o reto ou canal anal com a região perianal. Representa a fase crônica do abscesso anorretal. A associação da videocirurgia com o procedimento minimamente invasivo levou ao desenvolvimento do tratamento cirúrgico videoassistido da fístula anorretal anal).

Objetivo

: Descrever a técnica empregada na experiência preliminar nos primeiros casos realizados no Brasil.

Técnica

: As principais etapas da operação são a visualização do trajeto fistuloso através da fistuloscopia sob irrigação empregando equipamento específico Karl Storz, a correta localização do orifício interno sob visão direta, o tratamento endoscópico da fístula por eletrocoagulação e o tratamento do orifício interno que pode ser feito por grampeador, avanço de retalho mucoso ou sutura simples.

Resultados

: A distância entre a rima anal e o orifício externo foi de 5,5 cm. O tempo operatório foi de 31,75 (18-45) min em média. Em todos os casos, o orifício interno pôde ser identificado após fistuloscopia completa que foi tratado por meio de sutura simples. Não ocorreram complicações intra ou pós-operatórias. Após seguimento de cinco meses, um (12,5%) caso evoluiu com recidiva.

Conclusão

: O tratamento videoassistido da fístula anorretal demonstrou-se factível, seguro e reprodutível. Possibilita estudo direto de todo o trajeto fistuloso conseguindo identificação de trajetos acessórios bem como do orifício interno.

Palabras clave : Fístula retal; Procedimentos cirúrgicos minimamente invasivos; Incontinência fecal; Doença de Crohn.

        · resumen en Inglés     · texto en Inglés | Portugués     · Inglés ( pdf ) | Portugués ( pdf )