SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.29 issue4GROWTH FACTORS AND COX2 IN WOUND HEALING: AN EXPERIMENTAL STUDY WITH EHRLICH TUMORSDO PROXIMAL AND DISTAL GASTRIC TUMOURS BEHAVE DIFFERENTLY? author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


ABCD. Arquivos Brasileiros de Cirurgia Digestiva (São Paulo)

Print version ISSN 0102-6720On-line version ISSN 2317-6326

Abstract

LINS, Rodrigo Rego et al. EXPRESSÃO DA E-CADERINA E DAS PROTEÍNAS DA VIA DE SINALIZAÇÃO WNT BETACATENINA, APC, TCF-4 E SURVIVINA NO ADENOCARCINOMA GÁSTRICO: IMPLICAÇÕES CLÍNICA E PATOLÓGICA. ABCD, arq. bras. cir. dig. [online]. 2016, vol.29, n.4, pp.227-231. ISSN 2317-6326.  https://doi.org/10.1590/0102-6720201600040004.

Racional:

O câncer gástrico encontra-se entre as principais neoplasias malignas do mundo sendo o quinto mais incidente e o terceiro em relação ao índice de mortalidade. Acredita-se que a via Wnt/betacatenina esteja ativada em 30-50% desses tumores, porém a desregulação dela ainda não está completamente esclarecida.

Objetivo:

Avaliar a imunoexpressão das proteínas E-caderina, betacatenina, APC, TCF-4 e survivina em tecidos de adenocarcinoma gástrico e correlacioná-las com as variáveis clínicas dos doentes e anatomopatológicas do tumor.

Método:

Foram coletados os dados clínicos e anatomopatológicos dos prontuários de 71 doentes com adenocarcinoma gástrico submetidos à gastrectomia. O material obtido na operação foi submetido à análise imunoistoquímica e a frequência da expressão de cada proteína pôde ser analisada de acordo com a sua localização na célula e relacionada com as variáveis clinicopatológicas.

Resultados:

A graduação percentualda expressão e da localização das proteínas foi a seguinte: E-caderina em 3% na membrana; betacatenina em 23,4% no citoplasma e 3,1% no núcleo; APC em 94,6% no citoplasma; TCF-4 em19,4% no núcleo; e survivina em 93,9% no núcleo. Houve relação entre expressão da proteína E-caderina com a idade mais avançada (p=0,007); betacatenina com tumores <5 cm de diâmetro (p=0,041);APC com tumores proximais (p=0,047); e TCF-4 com tipo difuso da classificação de Lauren (p=0,017) e com o grau de penetração tumoral (p=0,002).

Conclusão:

A via Wnt/betacatenina não está envolvida na carcinogênese gástrica. Porém, a frequência elevada de survivina permite sugerir que outras vias sinalizadoras devam estar envolvidas na transformação do tecido gástrico.

Keywords : Via de sinalização Wnt; Beta catenina; Neoplasias gástricas; Caderinas; Imunoistoquímica.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )