SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 número87Migrações e trabalho no Brasil: fatores étnico-nacionais e raciais índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Ciências Sociais

versão impressa ISSN 0102-6909

Resumo

KNOBL, Wolfgang. Reconfigurações da teoria social após a hegemonia ocidental. Rev. bras. Ci. Soc. [online]. 2015, vol.30, n.87, pp.5-18. ISSN 0102-6909.  http://dx.doi.org/10.17666/308705-17/2015.

Nas últimas três décadas, os cientistas sociais tiveram de aprender que as hipóteses concernentes à robustez e à estabilidade dos processos e estruturas sociais não podem mais ser tidas por auto evidentes, posto que os resultados das ações sociais são muito mais imprevisíveis do que usualmente se supunha e os acontecimentos e sua ocorrência inesperada devem ser levados em conta para se compreender a realidade social. Se isso está correto, a teoria social precisa repensar alguns de seus pressupostos metodológicos e teóricos básicos. Este artigo tratará das seguintes questões: De que teoria da ação necessitamos para dar conta das características contingentes da vida social? Que tipos de relatos podem fazer os cientistas sociais com vistas a compreender essa mesma realidade? Podem os cientistas sociais falar ainda confiantemente em leis ou mecanismos sociais gerais ou devem eles basear-se mais propriamente em métodos narrativos? A resposta principal a essas questões será a de que, na verdade, a teoria social terá que tomar em consideração o problema da “narratividade”, o que ao mesmo tempo significa que a corrente dominante da teoria social terá necessariamente que historicizar completamente todas as suas categorias.

Palavras-chave : Teoria Social; Teorias Pós-Coloniais; Hegemonia Ocidental; Modernidade.

        · resumo em Inglês | Francês     · texto em Português     · Português ( pdf )