SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 número93O QUE É CRÍTICO NA SOCIOLOGIA CRÍTICA?CAROLE PATEMAN E A CRÍTICA FEMINISTA DO CONTRATO índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Ciências Sociais

versão On-line ISSN 1806-9053

Resumo

CODATO, Adriano; LOBATO, Tiemi  e  CASTRO, Andréa Oliveira. “VAMOS LUTAR, PARENTES!” As candidaturas indígenas nas eleições de 2014 no Brasil. Rev. bras. Ci. Soc. [online]. 2017, vol.32, n.93, e329302.  Epub 19-Dez-2016. ISSN 1806-9053.  http://dx.doi.org/10.17666/329302/2017.

Através da estatística descritiva, de entrevistas via telefone e e-mail e da análise da campanha de quatro candidatos, o artigo examina as características de 73 indígenas que concorreram nas eleições de 2014, ressaltando seus atributos sociais e partidários em comparação com o universo mais amplo de competidores. A análise dos dados revelou a concentração dessas candidaturas nas regiões Norte e Nordeste, nos pequenos partidos de esquerda, e a alta escolaridade dos candidatos. O estudo evidenciou ainda que, em termos de atributos adstritos e adscritos, candidatos indígenas e não indígenas são muito semelhantes entre si. Assim, não devem ser buscadas nessas diferenças as razões para o seu baixo desempenho eleitoral. Indígenas candidatam-se muito pouco a cargos de representação estadual e federal, sendo eles a etnia com o menor contingente em 2014. Isso pode indicar que eles tendem a fazer mais política em associações e organizações do “movimento indígena” do que por via da política institucional. Essa minoria é, politicamente, ainda mais excluída do que mulheres e negros, contudo, as causas dessa exclusão devem ser melhor pesquisadas.

Palavras-chave : Eleições brasileiras; Raça; Candidatos indígenas; Política indígena; Partidos políticos.

        · resumo em Inglês | Francês     · texto em Português     · Português ( pdf )