SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.34 número99A DEPENDÊNCIA RECONSTRUÍDA: A TRAJETÓRIA DO ESCRAVO FELÍCIO NO OESTE PAULISTA (1847-1920) índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Ciências Sociais

versão impressa ISSN 0102-6909versão On-line ISSN 1806-9053

Resumo

COSTA, Antonio Maurício. O CABOCLO FORTE TUPINAMBÁ: APARELHAGEM SONORA, AGÊNCIA E RELIGIÃO EM BELÉM DO PARÁ. Rev. bras. Ci. Soc. [online]. 2019, vol.34, n.99, e349903.  Epub 10-Jul-2018. ISSN 0102-6909.  http://dx.doi.org/10.1590/349903/2019.

O artigo discute a eficácia simbólica da aparelhagem Tupinambá como agência, isto é, como objetificação de intenções, promotora de efeitos nas relações entre as pessoas profissionalmente vinculadas ao sistema sonoro. A noção de eficácia simbólica é tratada aqui como prática de ordenamento de emoções em busca de um efeito, mas relacionada especificamente com um contexto lúdico-festivo. Aparelhagens são empresas familiares de sonorização de festas dançantes típicas de Belém e região metropolitana. A pesquisa revela, na história de formação do Auto Som Tupinambá, a existência de vínculos entre práticas do mercado urbano de entretenimento e sentidos próprios a domínios sociais ligados ao ritual e à religião. A eficácia simbólica da aparelhagem, performática, se associa à identificação mágico-religiosa dos fundadores do empreendimento com a proteção do índio caboclo José Tupinambá, encantado da mina nagô paraense. A pesquisa de campo percorreu apresentações do Tupinambá em eventos festivos e produziu entrevistas com proprietários e trabalhadores da aparelhagem.

Palavras-chave : Aparelhagem sonora; Festa; Caboclo; Eficácia simbólica; Mina do Pará.

        · resumo em Inglês | Francês     · texto em Português     · Português ( pdf )