SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.19 issue1BOther constituents isolated from Licania arianeae (Chrysobalanaceae)Phytochemistry and microbiological assay of the bark extracts of Maytenus rigida Mart. (Celastraceae) author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Farmacognosia

Print version ISSN 0102-695X

Abstract

BOLINA, Ricardo C.; GARCIA, Eliana de E  and  DUARTE, Maria Gorette R.. Estudo comparativo da composição química das espécies vegetais Mikania glomerata Sprengel e Mikania laevigata Schultz Bip. ex Baker. Rev. bras. farmacogn. [online]. 2009, vol.19, n.1b, pp. 294-298. ISSN 0102-695X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-695X2009000200019.

Adulterações da matéria-prima vegetal ocorrem comumente no mercado de fitoterápicos, sob a forma de substituições e/ou falsificações. Muitas vezes, espécies distintas são comercializadas em substituição à farmacopéica devido à dificuldade de obtenção desta, ou mesmo pelo emprego intencional de espécies de menor valor econômico que apresentem características morfológicas semelhantes. Portanto, faz-se necessária a realização de estudos que busquem identificar a constituição química das espécies de amplo uso medicinal, que são alvos de adulterações. Mikania glomerata e Mikania laevigata, conhecidas popularmente como "guaco", são comercializadas indistintamente. Buscando-se avaliar a composição química das duas espécies, realizou-se uma prospecção fitoquímica por CCD e foram obtidos os perfis cromatográficos por CLAE-FR. Fez-se a quantificação da cumarina empregando-se o mesmo método. Na prospecção fitoquímica por CCD, foi detectada, nas duas espécies, a presença de cumarina, triterpenos/esteróides e heterosídeos flavônicos. Os perfis cromatográficos, obtidos por CLAE-FR, mostraram-se semelhantes, observando-se a predominância de compostos polares. Na quantificação da cumarina, obtêve-se um teor de 0,30% para M. glomerata e 0,43% para M. laevigata, teores de acordo com o preconizado na monografia do guaco-cheiroso (mín. 0,1%). M glomerata e M. laevigata apresentaram composição química semelhante e teores de cumarina próximos, sugerindo que estas podem ser utilizadas de forma indistinta.

Keywords : Mikania glomerata; Mikania laevigata; Asteraceae; guaco; cumarina.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese