SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.19 issue3Medicalization as a biopolitical strategy: a study about the consuming of psychoactive prescribed drugs in a small town in state of Rio Grande do SulCell phones: a "God-given gift" for mothers of youngsters author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Psicologia & Sociedade

On-line version ISSN 1807-0310

Abstract

CANIATO, Angela. A banalização da mentira como uma das perversões da sociedade contemporânea e sua internalização como destrutividade psíquica. Psicol. Soc. [online]. 2007, vol.19, n.3, pp. 96-107. ISSN 1807-0310.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-71822007000300014.

Na contemporaneidade, a mentira constitui um dos principais atributos das relações sociais, instituindo-se como valor eticamente perverso; manifesta-se como ideologia ou é expressa cinicamente como "mentira manifesta"; a lei é a da hipocrisia normatizada entre os sujeitos; revela-se sob as sutilezas enganosas e opressivas da burocracia, em certas justificativas cínicas de segredo ou de sigilo; destrói as manifestações do desejar, sentir, pensar e agir e esvazia o respeito à alteridade dos indivíduos; apresenta-se potencializada pela cumplicidade, mesmo que inconsciente, dos indivíduos, que a reproduzem em vínculos de farsa. O poder de difusão da mentira sustenta-se na banalização da malignidade que atravessa a vida dos homens. A mentira produz e difunde a atribuição de periculosidade a certos grupos e/ou nações - "os terroristas" - para justificar ações bélicas contra povos com fins prioritariamente econômicos.

Keywords : Mentira; indústria cultural; banalização da malignidade; normatização social; destrutividade psíquica.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese