SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.10 issue2Radial artery for coronary artery bypass graftingHeart autotransplantation: a new technique to complex intracardiac reppairs author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular

Print version ISSN 0102-7638

Abstract

COSTA, Roberto  and  LEAO, Maria Inês de Paula. Experiência brasileira com uso de marcapasso cardíaco artificial: resultados atuais obtidos pelo Registro Brasileiro de Marcapassos - RBM. Rev Bras Cir Cardiovasc [online]. 1995, vol.10, n.2, pp. 84-89. ISSN 0102-7638.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-76381995000200004.

FUNDAMENTOS: Registro Brasileiro de Marcapassos (RBM) é uma base nacional de dados que tem por finalidade coletar e divulgar informações concernentes aos procedimentos cirúrgicos realizados em pacientes com estimulação cardíaca artificial permanente em todo o Brasil. OBJETIVO: Apresentar os resultados obtidos no período de junho a dezembro de 1994. CASUÍSTICA: No período de 1/6/94 a 31/12/94 foram recebidos 4696 formulários enviados por 130 hospitais e 287 médicos. Os procedimentos referiam-se a 3403 (72,5%) implantes iniciais a 1053 (22,4%) reoperações e 240 (5,1%) formulários exibiam este campo de cadastramento como dado não disponível. RESULTADOS: Dos 3403 pacientes submetidos a implante inicial, 52,8% eram do sexo masculino e 73,7% eram da raça branca. Sintomas de hipofluxo cerebral justificaram o implante em 76,4% dos pacientes e a insuficiência cardíaca congestiva esteve presente em 85,0% dos casos, sendo que em 266 (7,9%) pacientes foi a causa principal para a operação. Os achados eletrocardiográficos predominantes foram: bloqueio atrioventricular total (57,7%); disfunção do nó sinusal (13,9%), bloqueio AV do 2º grau (13,8%); e flütter ou fibrilação atrial com baixa resposta ventricular (6,6%). A doença de Chagas foi a etiologia predominante (30,4%). Implante de marcapasso ventricular foi realizado em 83,6% dos pacientes e atrioventricular em 16,1%. Dos 1053 casos de reoperações informados, 50,4% ocorreram por problemas no gerador de pulsos. O tempo transcorrido entre o implante inicial e a cirurgia atual variou de 1 mês a 24 anos, com média de 7,1 anos. A susbstituição do gerador de pulsos foi informada em 917 pacientes (87,0% dos casos de reoperação); sendo a principal causa de troca o esgotamento por fim de vida em 65,7%. A substituição de eletrodo atrial foi relatada em 21 pacientes e de eletrodo ventricular em 203 pacientes. CONCLUSÕES: A participação ativa de todos os membros do Departamento de Estimulação Cardíaca Artificial (DECA), com o apoio das empresas fornecedoras de marcapasso, e o respaldo do Ministério da Saúde permitiram que a implantação do RBM ocorresse da forma mais tranqüila possível. Hoje se dispõe de uma estatística nacional, volumosa e confiável, sobre a cirurgia de marcapasso no Brasil. As dificuldades enfrentadas estão relacionadas, principalmente, à estrutura individual de coleta de dados e a graus variados de familiaridade com o formulário, dificuldades estas que, com o tempo, tenderão a desaparecer.

Keywords : Marcapassos cardíacos [cirurgia]; Marcapassos cardíacos [coleta de dados]; Estimulação cardíaca artificial [marcapassos]; Estimulação cardíaca artificial [coleta de dados]; Arritmias cardíacas; Registro Brasileiro de Marcapassos - RBM.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese