SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.10 issue2Radial artery for coronary artery bypass graftingHeart autotransplantation: a new technique to complex intracardiac reppairs author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Brazilian Journal of Cardiovascular Surgery

Print version ISSN 0102-7638

Abstract

COSTA, Roberto  and  LEAO, Maria Inês de Paula. Experiência brasileira com uso de marcapasso cardíaco artificial: resultados atuais obtidos pelo Registro Brasileiro de Marcapassos - RBM. Rev Bras Cir Cardiovasc [online]. 1995, vol.10, n.2, pp.84-89. ISSN 0102-7638.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-76381995000200004.

FUNDAMENTOS: Registro Brasileiro de Marcapassos (RBM) é uma base nacional de dados que tem por finalidade coletar e divulgar informações concernentes aos procedimentos cirúrgicos realizados em pacientes com estimulação cardíaca artificial permanente em todo o Brasil. OBJETIVO: Apresentar os resultados obtidos no período de junho a dezembro de 1994. CASUÍSTICA: No período de 1/6/94 a 31/12/94 foram recebidos 4696 formulários enviados por 130 hospitais e 287 médicos. Os procedimentos referiam-se a 3403 (72,5%) implantes iniciais a 1053 (22,4%) reoperações e 240 (5,1%) formulários exibiam este campo de cadastramento como dado não disponível. RESULTADOS: Dos 3403 pacientes submetidos a implante inicial, 52,8% eram do sexo masculino e 73,7% eram da raça branca. Sintomas de hipofluxo cerebral justificaram o implante em 76,4% dos pacientes e a insuficiência cardíaca congestiva esteve presente em 85,0% dos casos, sendo que em 266 (7,9%) pacientes foi a causa principal para a operação. Os achados eletrocardiográficos predominantes foram: bloqueio atrioventricular total (57,7%); disfunção do nó sinusal (13,9%), bloqueio AV do 2º grau (13,8%); e flütter ou fibrilação atrial com baixa resposta ventricular (6,6%). A doença de Chagas foi a etiologia predominante (30,4%). Implante de marcapasso ventricular foi realizado em 83,6% dos pacientes e atrioventricular em 16,1%. Dos 1053 casos de reoperações informados, 50,4% ocorreram por problemas no gerador de pulsos. O tempo transcorrido entre o implante inicial e a cirurgia atual variou de 1 mês a 24 anos, com média de 7,1 anos. A susbstituição do gerador de pulsos foi informada em 917 pacientes (87,0% dos casos de reoperação); sendo a principal causa de troca o esgotamento por fim de vida em 65,7%. A substituição de eletrodo atrial foi relatada em 21 pacientes e de eletrodo ventricular em 203 pacientes. CONCLUSÕES: A participação ativa de todos os membros do Departamento de Estimulação Cardíaca Artificial (DECA), com o apoio das empresas fornecedoras de marcapasso, e o respaldo do Ministério da Saúde permitiram que a implantação do RBM ocorresse da forma mais tranqüila possível. Hoje se dispõe de uma estatística nacional, volumosa e confiável, sobre a cirurgia de marcapasso no Brasil. As dificuldades enfrentadas estão relacionadas, principalmente, à estrutura individual de coleta de dados e a graus variados de familiaridade com o formulário, dificuldades estas que, com o tempo, tenderão a desaparecer.

Keywords : Marcapassos cardíacos [cirurgia]; Marcapassos cardíacos [coleta de dados]; Estimulação cardíaca artificial [marcapassos]; Estimulação cardíaca artificial [coleta de dados]; Arritmias cardíacas; Registro Brasileiro de Marcapassos - RBM.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf epdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License