SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.10 issue3Surgical treatment of descending thoracic and thoracoabdominal aorta with the "open distal" techniqueExperimental ventricular assist device to maintain cardiocirculatory conditions author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular

Print version ISSN 0102-7638

Abstract

MALUF, Miguel A et al. Operação de Blalock-Taussig modificada para o tratamento paliativo de cardiopatias congênitas com hipofluxo pulmonar. Rev Bras Cir Cardiovasc [online]. 1995, vol.10, n.3, pp. 126-132. ISSN 0102-7638.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-76381995000300002.

De janeiro de 1990 a novembro de 1994, 72 pacientes portadores de cardiopatias congênitas com hipofluxo pulmonar foram submetidos à operação de Blalock-Taussig. A idade variou entre 2 dias e 11 anos (M:9,0 meses); 44 (61,1%) eram do sexo masculino e 28 (38,8%) do feminino; 38 (52,8%) casos portadores de tétrade de Fallot; 7 (9,7%) atresia pulmonar com septo interventricular íntegro (AP c/ SIVI); 6 (8,4%) transposição das grandes artérias (TGA) + estenose pulmonar (EP); 6 (8,4%) atresia tricúspide (AT) + EP; 6 (8,4%) dupla via de entrada (DVE) do ventrículo direito (VD) ou ventrículo esquerdo (VE) + (EP); 3 (4,2%) transposição corrigida das grandes artérias (TCGA) + comunicação interventricular (CIV) + EP; 2 (2,7%) dupla via de saída (DVS) de VD ou VE + EP; 2 (2,7%) defeito septal atrioventricular (DSAV) + EP; 2 (2,7%) isomerismo direito (D) ou (E) + EP. Os critérios de indicação foram: a) neonatos com cardiopatias "dueto dependente"; b) lactentes com piora de cianose ou crise de hipoxia; c) crianças durante a infância com cardiopatias sem chance de uma correção biventricular. A técnica empregada foi a operação de Blalock-Taussig modificada, interpondo prótese entre artéria subclávia e artéria pulmonar. A prótese de Polytetrafluoroethylene (PTFE) foi usada em 69 (94,5%) casos, veia umbilical em 3 (4,1%) casos e artéria mamária bovina em 1 (1,4%) caso. Durante o ato operatório foi administrada dose única de heparina (1mg x kg peso), não sendo neutralizada no pós-operatório (PO) e no seguimento tardio, dispensado o uso de anticoagulantes ou antiagregantes plaquetários. Houve 8 (11,1%) óbitos no PO imediato: 5 (6,9%) casos por obstrução da prótese (3 foram reoperados), 2 (2,7%) casos por morte súbita (AP c/ SIVI) e 1 (1,3%) devido a processo infeccioso pulmonar. A obstrução da prótese como principal causa de óbito esteve diretamente relacionada à anatomia dos vasos (calibre da artéria subclávia e pulmonar) e ou problemas de técnica cirúrgica. A operação de Blalock-Taussig modificada demonstrou ser um método confiável e seguro no tratamento paliativo das cardiopatias com hipofluxo pulmonar

Keywords : Blalock-Taussig [operação de]; Blalock-Taussig [modificada]; Cardiopatias congênitas [operação de Blalock - Taussig]; Cardiopatias congênitas [hipofluxo pulmonar]; Cardiopatias congênitas [cirurgia].

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese