SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.19 issue4Physiologic left ventricular reconstruction: the concept of maximum ventricular reduction and minimum inflammatory reactionCoronary artery bypass grafting with composite grafts: comparison of blood flow to the left coronary artery with the conventional technique author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular

Print version ISSN 0102-7638

Abstract

SANT'ANNA, João Ricardo M. et al. Resultado da substituição aórtica por ampliação anelar anterior e posterior é comparável a do anel normal. Rev Bras Cir Cardiovasc [online]. 2004, vol.19, n.4, pp. 358-364. ISSN 0102-7638.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-76382004000400006.

OBJETIVO: Comparar resultados tardios da substituição valvar no anel aórtico com ou sem ampliação. MÉTODO: Incluídos 22 pacientes aórticos com ampliação anelar anterior e posterior por anel pequeno e 23 com diâmetro anelar normal quando da substituição valvar aórtica. Para grupos, foram comparáveis características como sexo, idade, diagnóstico valvar, etiologia da doença e lesões associadas. Substituição valvar simples foi rotineira. Para ampliação anelar posterior foi feita incisão no ponto médio do seio não coronariano, estendida ao folheto mitral anterior; ampliação anterior resultou de incisão no anel aórtico anterior, estendida por 2 cm no septo interventricular, não transfixado; reconstrução aórtica foi realizada por enxertos de pericárdio bovino. Resultados considerados para toda amostra foram características operatórias, evolução clínica (seguimento de 2 a 11 anos) e gradiente na via de saída do ventrículo esquerdo (VSVE) ao ecocardiograma Doppler. RESULTADOS: Ampliação aumentou diâmetro anelar aórtico de 18,3±2,2 mm para 24,8±2,0 mm (p<0,001), tornando-o comparável ao normal: 24,9±1,5 mm (NS). Foi necessário maior tempo de circulação extracorpórea para ampliação anelar (122,1±38,9 min vs 91,0±30,7 min; p<0,005) e de pinçamento aórtico (91,6±20,7 min vs 68,0±23,5 min; p<0,001). Para ampliação anelar, o gradiente sistólico máximo na VSVE reduziu de 83,6±22,3 mmHg no pré-operatório para 26,7±11,4 mmHg (p<0,01), recentemente, e na substituição valvar simples a redução foi de 68,2±28,7 mmHg para 32,8±16,2 mmHg (P<0,001); valores comparáveis para intervalos correspondentes (NS). CONCLUSÃO: Técnica de ampliação anterior e posterior do anel aórtico possibilitou aumento do diâmetro anelar e do substituto protético implantado, sendo que para até 11 anos de seguimento o resultado clínico e ecocardiográfico foi superponível ao da substituição aórtica em pacientes com anel normal.

Keywords : Estenose da valva aórtica [cirurgia]; Doenças das valvas cardíacas [cirurgia]; Prótese das valvas cardíacas.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese