SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 issue1Effects of ischemic postconditioning on left ventricular function of isolated rat heartsVideo-thoracoscopic pericardial drainage in the treatment of pericardial effusions author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Brazilian Journal of Cardiovascular Surgery

Print version ISSN 0102-7638On-line version ISSN 1678-9741

Abstract

CARNEIRO, Luciano Jannuzzi et al. Revascularização miocárdica com artéria radial: influência da anastomose proximal na oclusão a médio e longo prazo. Rev Bras Cir Cardiovasc [online]. 2009, vol.24, n.1, pp.38-43. ISSN 0102-7638.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-76382009000100008.

OBJETIVO: Determinar se o local da anastomose proximal apresenta influência ou não na perviedade a médio e longo prazo destes enxertos. MÉTODOS: Foram reestudados 123 pacientes, de um total de 481 operados com artéria radial (AR). A média de idade era de 58,8 + 10,4 anos. Noventa e seis (78,05%) pacientes foram operados com circulação extracorpórea (CEC). Considerando-se todos os enxertos, foram revascularizados 382 ramos coronários, média de 3,1 + 0,8 artérias por paciente. Desse total, 150 artérias foram revascularizadas com AR, sendo os ramos marginais esquerdos (ME) os mais prevalentes (48,67%). A anastomose proximal foi realizada na aorta em 50 pacientes (40,65%) e em "Y" com a artéria torácica interna esquerda (ATIE) ou direita (ATID) nos demais 73 (59,35%). No pós-operatório, os reestudos angiográficos tiveram período médio de 5,36 + 3,21 anos. Os dados foram divididos em duas categorias: anastomose proximal (aorta/"Y") e perviedade (enxerto ocluído/pérvio). Foi utilizado teste qui-quadrado para duas proporções, com intervalo de confiança (IC) de 95%. RESULTADOS: Dos 50 enxertos com anastomose na aorta, 42 (84%) apresentaram-se pérvios, contra oito (16%) ocluídos. Dos 73 enxertos em "Y", 59 (80,82%) apresentaram-se pérvios, contra 14 (19,18%) ocluídos. Comparando-se enxertos ocluídos e pérvios de ambas as técnicas, observou-se não haver diferença estatisticamente significativa entre as proporções (P=0,651, IC=95%). CONCLUSÃO: Conclui-se que, na utilização da AR como enxerto coronário, o local da anastomose proximal não interfere na obstrução e no fluxo do enxerto, a médio e longo prazo.

Keywords : Revascularização miocárdica [métodos]; Artéria radial; Anastomose cirúrgica; Resultado de tratamento.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · English ( pdf ) | Portuguese ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License