SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.26 issue3Plasmatic vasopressin in patients undergoing conventional infra-renal abdominal aorta aneurysm repairDecellularization as an anticalcification method in stentless bovine pericardium valve prosthesis: a study in sheep author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular

Print version ISSN 0102-7638

Abstract

HAAG, Fabiana; CASONATO, Sílvia; VARELA, Fernanda  and  FIRPO, Cora. Conhecimento dos pais sobre profilaxia de endocardite infecciosa em crianças portadoras de cardiopatias congênitas. Rev Bras Cir Cardiovasc [online]. 2011, vol.26, n.3, pp. 413-418. ISSN 0102-7638.  http://dx.doi.org/10.5935/1678-9741.20110016.

INTRODUÇÃO: As diretrizes para profilaxia de endocardite infecciosa mudaram, mas muitas cardiopatias congênitas seguem sendo consideradas de alto risco para o desenvolvimento da doença. OBJETIVO: Avaliar o conhecimento dos pais ou responsáveis pelas crianças e adolescentes portadores de cardiopatias atendidos em um serviço de referência no estado do Rio Grande do Sul, Brasil, sobre endocardite infecciosa e sua profilaxia. MÉTODOS: Estudo transversal com 90 pacientes portadores de cardiopatias congênitas em acompanhamento ambulatorial regular. O conhecimento dos pais foi avaliado com o uso de questionário específico e os demais dados foram obtidos por meio da revisão de prontuários. RESULTADOS: A mediana da idade dos pacientes foi de 5,6 anos (3 meses - 14 anos e 7 meses), sendo 57,7% do sexo masculino. A mediana de tempo de acompanhamento no serviço foi de 3,49 anos (1,20-7,38 anos). Os anos de estudo formal dos pais apresentaram média de 7,67 ± 3,25 anos. De acordo com o escore previamente estabelecido, o conhecimento dos pais entrevistados foi considerado satisfatório em 37,7% dos casos, regular, em 33,3% e insatisfatório, em 28,8%. Houve correlação significativa entre o índice de conhecimento dos pais e tempo de acompanhamento das crianças no serviço (r=0,584; P<0,001). Não houve correlação entre a escolaridade dos pais e o conhecimento dos mesmos (r=0,028; P=0,796). CONCLUSÃO: O conhecimento dos pais sobre endocardite e sua profilaxia mostrou-se inadequado, requerendo maior atenção nas orientações transmitidas nas consultas

Keywords : Prevenção Primária; Endocardite; Conhecimento.

        · abstract in English     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese