SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.26 issue4Retrograde autologous priming in cardiopulmonary bypass in adult patients: effects on blood transfusion and hemodilutionRisk factors for sternal wound infections and application of the STS score in coronary artery bypass graft surgery author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Cirurgia Cardiovascular

Print version ISSN 0102-7638

Abstract

SA, Michel Pompeu Barros de Oliveira et al. Artéria torácica interna esqueletizada está associada a menores taxas de mediastinite em idosos submetidos à cirurgia de revascularização miocárdica. Rev Bras Cir Cardiovasc [online]. 2011, vol.26, n.4, pp. 617-623. ISSN 0102-7638.  http://dx.doi.org/10.5935/1678-9741.20110053.

JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS: Mediastinite é séria complicação da esternotomia mediana e está associada a significativa morbidade e mortalidade. O objetivo deste estudo é identificar qual técnica de obtenção da artéria torácica interna (ATI), dissecção pediculada ou esqueletizada, está associada a menores taxas de mediastinite após cirurgia de revascularização miocárdica (CRM) em idosos, na Divisão de Cirurgia Cardiovascular do PROCAPE. MÉTODOS: Estudo retrospectivo de 160 idosos submetidos consecutivamente à CRM entre maio/2007 e junho/2011. Onze variáveis pré-operatórias, quatro intraoperatórias e oito pós-operatórias, possivelmente envolvidas no desenvolvimento de mediastinite após CRM, foram avaliadas entre dois grupos: CRM com ATI esqueletizada (n=80) e ATI pediculada (n=80). Análises univariada e multivariada por regressão logística foram aplicadas. RESULTADOS: A incidência de mediastinite foi 6,8% (n=11), com taxa de letalidade de 54,5% (n=6). Grupo ATI esqueletizada foi mais exposto à obesidade (n=12 vs. n=4; 15% vs. 5%, P=0,035) e múltiplas transfusões (n=25 vs. n=11; 31,2% vs. 13,7%; P=0,008) do que grupo ATI pediculada. Grupo ATI pediculada apresentou maior risco de mediastinite após CRM que grupo ATI esqueletizada (n=10 vs. n=1; 12,5% vs. 1,2%; OR não-ajustado 11,3; IC 95% 1,4-241,5; P=0,008). Na análise multivariada, esta diferença manteve-se estatisticamente significativa (OR ajustado 5,2; IC 95% 1,5-495,8; P=0,012), sendo considerada uma associação independente. CONCLUSÕES: Sugerimos que os idosos devem ser considerados para estratégias de minimização de risco de infecção. Em idosos submetidos à CRM com ATI unilateral, o problema parece estar relacionado à forma como a ATI é obtida. Idosos devem ser sempre considerados para o uso de ATI esqueletizada.

Keywords : Revascularização miocárdica; Mediastinite; Idoso.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English