SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.27 número2Teste de caminhada de seis minutos como ferramenta para avaliar a qualidade de vida em pacientes submetidos à cirurgia de revascularização miocárdicaUso do balão intra-aórtico no trans e pós-operatório de cirurgia cardíaca: análise de 80 casos consecutivos índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Brazilian Journal of Cardiovascular Surgery

versão impressa ISSN 0102-7638

Resumo

NAWA, Ricardo Kenji et al. Pressões respiratórias máximas no pré-operatório de cirurgias cardíacas em adultos: avaliação de duas fórmulas. Rev Bras Cir Cardiovasc [online]. 2012, vol.27, n.2, pp.240-250. ISSN 0102-7638.  http://dx.doi.org/10.5935/1678-9741.20120040.

OBJETIVOS: A cirurgia cardíaca (CC) determina alterações que demandam cuidados específicos no pós-operatório, incluindo as alterações pulmonares. A consciência da importância da disfunção da musculatura respiratória na insuficiência respiratória motivou o desenvolvimento de diversos estudos da força muscular em indivíduos saudáveis. Esses trabalhos utilizam valores de pressão inspiratória máxima (PIMÁX) e pressão expiratória máxima (PEMÁX). O presente estudo avaliou a concordância existente entre os valores preditos pelas equações propostas por Black & Hyatt e Neder et al., com valores observados em pacientes submetidos à CC. MÉTODOS: Os dados foram coletados das fichas de avaliação pré-operatória. Para a análise estatística verificou-se a concordância existente entre os valores preditos e observados pelas as equações de Black & Hyatt e Neder et al., sendo utilizado o coeficiente de concordância de Lin e o gráfico de Bland-Altman. Posteriormente, os dados foram submetidos à regressão linear múltipla e análise de variância, para proposição de novas fórmulas. RESULTADOS: Para PIMÁX, observou-se fraca concordância de 0,22 e 0,19 e para PEMÁX, 0,10 e 0,32, respectivamente, para as fórmulas de Black & Hyatt e Neder et al. Os valores da ANOVA para PIMÁX e PEMÁX, foram significativas (P<0,0001), permitindo propor as seguintes fórmulas: PIMÁX = 88,82 - (0,51 x Idade) + (19,86 x Sexo), e para PEMÁX = 91,36 - (0,30 x Idade) + (29,92 x Sexo). CONCLUSÃO: As fórmulas de Black e Hyatt e Neder et al. predizem valores de PIMÁX e PEMÁX discrepantes, não devendo ser utilizadas para identificar fraqueza muscular em pacientes submetidos a cirurgia cardíaca.

Palavras-chave : Cirurgia torácica; Assistência perioperatória; Cuidados pré-operatórios, métodos; Insuficiência respiratória; Músculos respiratórios.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons