SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.25 issue2Evaluation of atmospheric profiles from GPS radio occultation using the CHAMP satellite over South AmericaCharacterization of extreme sea level events in Santos and their correspondence with the NCEP model reanalysis in the southwest of the South Atlantic author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Brasileira de Meteorologia

Print version ISSN 0102-7786

Abstract

ROSA, Marcelo Barbio; PEREIRA FILHO, Augusto  and  SATYAMURTY, Prakki. Perfis de hidrometeoros e de calor latente dos ciclones tropicais Conson, Ivan e Catarina usando dados do PR/TRMM. Rev. bras. meteorol. [online]. 2010, vol.25, n.2, pp. 156-174. ISSN 0102-7786.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-77862010000200002.

No presente trabalho foram analisados as características microfísicas e termodinâmicas de dois sistemas tropicais, o Furacão Ivan e o Tufão Conson, e um sub-tropical, Catarina, a partir de medições feitas com o radar PR a bordo do satélite TRMM. Na análise, os perfis de refletividade foram classificados conforme as técnicas de Heymsfield et al (2000) e Steiner et al (1995) e em seguida foram calculados os conteúdos de água e gelo, a partir de uma relação obtida no Estado de Rondônia (Brasil). Com estes perfis calculou-se a taxa de aquecimento diabático devido a liberação de calor latente conforme Tao et al (1990). Após serem comparados os três furacões, fez-se uma análise mais detalhada do Catarina, que foi o primeiro furacão oficialmente registrado no Atlântico Sul. Os resultados mostraram que o Ivan e o Conson tiveram um alto teor médio de água, especialmente nos níveis mais baixos e perto de seus centros. Os resultados indicaram que o furacão Catarina foi mais raso, tinha menor teor de água líquida e mais concentrada próximo do centro. O teor médio de gelo no Catarina foi cerca de 0,05 g kg-1, enquanto no Conson foi de 0,06 g kg-1 e no Ivan 0,08 g kg-1. O Conson e o Ivan tiveram teor de água de até 0,3 g kg-1 acima da isolinha de 0ºC, enquanto que o Catarina teve menos de 0,15 g kg-1. A taxa de aquecimento, devido à liberação de calor latente, no Catarina, mostrou ter magnitudes similares aos outros dois sistemas, com maiores diferenças nas regiões próximas do núcleo.

Keywords : Ciclones tropicais; Microfísica de nuvens; Liberação de calor latente.

        · abstract in English     · text in English     · pdf in English