SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.25 número2Avaliação de perfis atmosféricos de rádio ocultação GPS do satélite CHAMP sobre a América do SulCaracterização de eventos extremos do nível do mar em Santos e sua correspondência com as reanálises do modelo do NCEP no sudoeste do Atlântico Sul índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Meteorologia

versão impressa ISSN 0102-7786

Resumo

ROSA, Marcelo Barbio; PEREIRA FILHO, Augusto  e  SATYAMURTY, Prakki. Perfis de hidrometeoros e de calor latente dos ciclones tropicais Conson, Ivan e Catarina usando dados do PR/TRMM. Rev. bras. meteorol. [online]. 2010, vol.25, n.2, pp.156-174. ISSN 0102-7786.  https://doi.org/10.1590/S0102-77862010000200002.

No presente trabalho foram analisados as características microfísicas e termodinâmicas de dois sistemas tropicais, o Furacão Ivan e o Tufão Conson, e um sub-tropical, Catarina, a partir de medições feitas com o radar PR a bordo do satélite TRMM. Na análise, os perfis de refletividade foram classificados conforme as técnicas de Heymsfield et al (2000) e Steiner et al (1995) e em seguida foram calculados os conteúdos de água e gelo, a partir de uma relação obtida no Estado de Rondônia (Brasil). Com estes perfis calculou-se a taxa de aquecimento diabático devido a liberação de calor latente conforme Tao et al (1990). Após serem comparados os três furacões, fez-se uma análise mais detalhada do Catarina, que foi o primeiro furacão oficialmente registrado no Atlântico Sul. Os resultados mostraram que o Ivan e o Conson tiveram um alto teor médio de água, especialmente nos níveis mais baixos e perto de seus centros. Os resultados indicaram que o furacão Catarina foi mais raso, tinha menor teor de água líquida e mais concentrada próximo do centro. O teor médio de gelo no Catarina foi cerca de 0,05 g kg-1, enquanto no Conson foi de 0,06 g kg-1 e no Ivan 0,08 g kg-1. O Conson e o Ivan tiveram teor de água de até 0,3 g kg-1 acima da isolinha de 0ºC, enquanto que o Catarina teve menos de 0,15 g kg-1. A taxa de aquecimento, devido à liberação de calor latente, no Catarina, mostrou ter magnitudes similares aos outros dois sistemas, com maiores diferenças nas regiões próximas do núcleo.

Palavras-chave : Ciclones tropicais; Microfísica de nuvens; Liberação de calor latente.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons