SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.15 issue3How the mind comes to be social to Barbara Rogoff? The question of the centrality of the personSocial integration of psychotics: global rating of assertive behavior in situations of making and receiving criticism author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Psicologia: Reflexão e Crítica

Print version ISSN 0102-7972

Abstract

MINAYO-GOMEZ, Carlos  and  BARROS, Maria Elizabeth Barros de. Saúde, trabalho e processos de subjetivação nas escolas. Psicol. Reflex. Crit. [online]. 2002, vol.15, n.3, pp. 649-663. ISSN 0102-7972.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722002000300018.

Neste artigo se discute o conceito de subjetividade utilizado nas práticas de saúde. Parte-se da tese de que a concepção de subjetividade predominante no pensamento dos trabalhadores no campo da saúde não está em sintonia com valores e pressupostos de renovação de conceitos e práticas, neste âmbito, na atualidade. Defende-se o caráter processual e coletivo dos processos de produção de subjetividade, contra o caráter individualista, apriorístico e objetificado prevalente nas práticas em psicologia e campos afins. Desdobra-se desta reflexão a defesa das transformações dessas práticas tendo como norte as articulações entre gestão no trabalho e processos de subjetivação, com base nos pressupostos teórico-filosóficos da obra de M. Foucault e na ergologia de linhagem francesa. Nessa direção de análise, afirma-se a importância de se pesquisar as articulações entre organização do trabalho, produção de saúde-doença e processos de subjetivação em curso. O foco das análises é a escola pública.

Keywords : Subjetividade; práticas de saúde; trabalho; gestão.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese