SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.19 número2O genograma como instrumento de pesquisa do impacto de eventos estressores na transição família-escolaNormas sociais e preconceito: o impacto da igualdade e da competição no preconceito automático contra os negros índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Psicologia: Reflexão e Crítica

versão impressa ISSN 0102-7972

Resumo

GUEDEA, Miriam Teresa Domínguez et al. Relação do bem-estar subjetivo, estratégias de enfrentamento e apoio social em idosos. Psicol. Reflex. Crit. [online]. 2006, vol.19, n.2, pp. 301-308. ISSN 0102-7972.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722006000200017.

Foram analisadas as relações das estratégias de enfrentamento, apoio social e variáveis sócio-demográficas com o bem-estar subjetivo de uma amostra de idosos. O bem-estar foi definido pela satisfação com a vida, os afetos positivos e afetos negativos. Participaram 123 idosos (média = 67,1; desvio padrão = 6,1), residentes em João Pessoa, Brasil. Análises de regressão hierárquica revelaram que (a) a satisfação com a vida é maior em mulheres, nas pessoas que recebem pensão, as pessoas que estão satisfeitas com o apoio recebido, as pessoas que dão apoio aos outros e nas pessoas que enfrentam os problemas de forma direta e uma re-avaliação positiva; (b) os afetos positivos aumentam com a satisfação do apoio recebido e com o enfrentamento direto e re-avaliativo e a diminuição do enfrentamento de esquiva e (c) os afetos negativos diminuem ao dar apoio e aumentam com o enfrentamento de esquiva. Os resultados mostram as diferenças dos componentes cognitivo e afetivo do bem-estar e apontam a necessidade de investigar a autonomia funcional do idoso.

Palavras-chave : Bem-estar subjetivo; enfrentamento; apoio social; idosos.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português