SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 issue3What we bring to life and what life brings to us: an analysis of the ethiological equation proposed by Freud according to neurosciencesThe structure of social representation of death in the interface with the religiosities of healthcare professionals groups author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Psicologia: Reflexão e Crítica

On-line version ISSN 1678-7153

Abstract

COSTA, Nina Rosa do Amaral  and  ROSSETTI-FERREIRA, Maria Clotilde. Tornar-se pai e mãe em um processo de adoção tardia. Psicol. Reflex. Crit. [online]. 2007, vol.20, n.3, pp. 425-434. ISSN 1678-7153.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722007000300010.

Assistimos surgir no Brasil uma nova cultura de adoção que busca famílias para crianças e não crianças para famílias. Essa proposta comporta um novo projeto de família, de maternidade e paternidade, atribuindo novos sentidos ao ser pai e mãe, distinto do tradicional modelo associado à consangüinidade. A adoção tardia insere-se nesse novo contexto. Para compreender os processos de construção de maternidade e paternidade nessas circunstâncias, é importante investigar as significações produzidas pelo casal ao tornar-se pai/mãe. Este artigo foca a produção discursiva de um casal durante entrevistas domiciliares, realizadas no decorrer do processo de adoção tardia de duas irmãs (4 e 5 anos). São apresentados os sentidos produzidos na conversação, em resposta à pergunta sobre como era ser pai ou ser mãe naquele momento. A análise aponta especificidades do tornar-se pai/mãe por adoção tardia, a difícil e frágil construção de vínculos e a necessidade de acompanhamentos pós-adotivos.

Keywords : Adoção; maternidade; paternidade; rede de significações; práticas discursivas.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf epdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License