SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 número3Entre o aborto e a pesquisa: o embrião na imprensa BrasileiraFuncionamento diferencial de itens para avaliar a agressividade de universitários índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Psicologia: Reflexão e Crítica

versão impressa ISSN 0102-7972

Resumo

GOUVEIA, Valdiney Veloso et al. Escala de bem-estar afetivo no trabalho (Jaws): evidências de validade fatorial e consistência interna. Psicol. Reflex. Crit. [online]. 2008, vol.21, n.3, pp. 464-473. ISSN 0102-7972.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-79722008000300015.

O objetivo deste estudo foi adaptar uma medida de bem-estar afetivo no trabalho para o contexto brasileiro. Especificamente, pretendeu-se conhecer evidências de validade fatorial e consistência interna da Job-Related Affective Well-Being Scale (JAWS), avaliando se as pontuações nos seus fatores diferem em função do gênero e da idade dos participantes. Participaram 298 trabalhadores de centros comerciais de pequeno e médio porte da cidade de João Pessoa (PB). A maioria destes era do sexo feminino (76,8%), com idade média de 26 anos (DP = 6,87). Através de uma análise dos componentes principais (rotação promax) foram identificados dois fatores que explicaram conjuntamente 48,1% da variância total: afetos positivos (α = 0,94; 14 itens) e afetos negativos (α = 0,87; 13 itens); um fator geral de bem-estar afetivo no trabalho foi também computado (α = 0,95; 27 itens). As pontuações dos participantes nestes fatores não foram influenciadas pelas variáveis gênero e idade. Estes resultados são discutidos à luz do que tem sido escrito sobre os parâmetros desta escala e da relação dos afetos com estas variáveis demográficas.

Palavras-chave : Afetos; emoções; bem-estar; trabalho.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português