SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.28 issue3Explanatory Mechanisms of False Memories in DRM ParadigmSelf-Regulation of Motivation: Beliefs and Strategies of Students between 7th to 9th Grade author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Psicologia: Reflexão e Crítica

Print version ISSN 0102-7972On-line version ISSN 1678-7153

Abstract

HAZIN, Izabel et al. Desempenho Intelectual Pós Tratamento de Câncer: Um Estudo com Crianças. Psicol. Reflex. Crit. [online]. 2015, vol.28, n.3, pp.565-573. ISSN 0102-7972.  http://dx.doi.org/10.1590/1678-7153.201528315.

Na atualidade cresce a preocupação com a neurotoxicidade do tratamento antineoplásico e o neurodesenvolvimento. O objetivo deste estudo foi comparar o impacto da modalidade de tratamento sobre a capacidade intelectiva de 22 sobreviventes de Tumores de Fossa Posterior e Leucemia Linfóide Aguda com idades entre seis e 14 anos. Participantes com astrocitoma foram submetidos à cirurgia; aqueles com meduloblastoma à cirurgia, à quimioterapia sistêmica e à radioterapia de crânio e neuroeixo (54Gy) e; aqueles com LLA à quimioterapia sistêmica e intratecal. Apenas os participantes com astrocitoma obtiveram desempenho dentro do esperado. Observou-se contrastes estatisticamente significativos entre os grupos, notadamente entre as crianças com meduloblastoma e as demais nos escores não verbais. Sugere-se que a combinação cirurgia, quimioterapia sistêmica e radioterapia potencializou as sequelas cognitivas, e reforça-se a hipótese de que a radioterapia acarreta danos à substância branca. A quimioterapia intratecal associada à sistêmica promoveu impactos significativos sobre o funcionamento executivo.

Keywords : Inteligência; leucemia-linfoma linfoblástico de células precursoras; meduloblastoma; astrocitoma; radioterapia.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )