SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.31 issue3From the reduction of strategic uncertainty to the consolidation of exclusion: the relevance of ideational factors in foreign policy analysis author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Contexto Internacional

Print version ISSN 0102-8529

Abstract

FELDMAN, Luiz. Soberania e modernização no Brasil: pensamento de política externa no segundo reinado e na primeira república. Contexto int. [online]. 2009, vol.31, n.3, pp. 535-592. ISSN 0102-8529.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-85292009000300005.

O propósito deste artigo é apresentar o pensamento de política externa brasileira no Segundo Reinado e na Primeira República. Argumenta-se que o posicionamento do Brasil em relações bilaterais com grandes potências entre 1845 e 1866 e na participação em conferências multilaterais entre 1906 e 1907 é enunciado pelas antíteses particular/universal e civilização/barbá-rie. Por meio da primeira, os gestores da diplomacia inscrevem o país no raio de um padrão de relacionamento intraeuropeu, mantendo um debate a respeito dos limites que as normas internacionais podem impor à prática soberana. Por meio da segunda antítese, os gestores da diplomacia repudiam a inclusão do Brasil no conjunto de países sujeitos a um padrão de relacionamento extraeuropeu. Afirmam, em seu lugar, um imperativo de modernização da sociedade pelo Estado, como forma de evitar os desrespeitos à soberania territorial brasileira e de legitimar a inserção do país no padrão intraeuropeu.

Keywords : Política Externa Brasileira; Segundo Reinado; Primeira República; Antítese Particular [Universal]; Antítese Civilização [Barbárie].

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese