SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 número2A política externa mexicana de direitos humanos durante o governo fox (2000-2006): as estratégias de lock-in e sinalizaçãoPensamento brasileiro e integração regional índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Contexto Internacional

versão impressa ISSN 0102-8529

Resumo

FLEMES, Daniel. A visão brasileira da futura ordem global. Contexto int. [online]. 2010, vol.32, n.2, pp. 403-436. ISSN 0102-8529.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-85292010000200005.

Este artigo visa desdobrar a concepção brasileira da futura ordem global localizada entre os polos extremos de um concerto de grandes potências e de uma ordem mundial multirregional. O autor demonstra como os formuladores de política externa brasileira contribuem para um tipo de ordem global que oferece espaço de manobra para a potência emergente. As opções de política externa do Brasil são limitadas, diante do superior poder material (hard power) das grandes potências estabelecidas. A estratégia de soft balancing do Brasil envolve estratégias institucionais, como a formação de coalizões diplomáticas limitadas ou alianças para restringir o poder das grandes potências estabelecidas. O Brasil tem estado entre os mais poderosos condutores de mudança incremental na diplomacia mundial e é beneficiado em grande parte pelas conectadas mudanças de poder global. Em uma ordem global moldada por grandes potências por meio de arranjos e instituições internacionais, esses jogadores que efetivamente operam em ambos como inovadores, construtores de coalizões e porta-vozes, ao mesmo tempo em que preservam grande parcela de soberania e autonomia, têm o potencial de influenciar substancialmente os resultados da futura política global.

Palavras-chave : Brasil; Política Externa; Soft Balancing; Construção de Alianças; Ordem Global; Governança Global.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português