SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.32 issue2The process of regional integration: open borders for Mercosul workersThe implementation of the consensus: Itamaraty, the Ministry of Economics and Brazilian liberalization author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Contexto Internacional

Print version ISSN 0102-8529

Abstract

STUENKEL, Oliver. Identidade, status e instituições internacionais: o caso do Brasil, da Índia e do tratado de não proliferação. Contexto int. [online]. 2010, vol.32, n.2, pp. 519-561. ISSN 0102-8529.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-85292010000200008.

A fim de se entender como podemos explicar o comportamento das potências emergentes diante das instituições internacionais, este artigo analisa o caso de Brasil, Índia e do Tratado de Não Proliferação com maior profundidade e mostrar que nem os realistas nem os institucionalistas liberais podem explicar plenamente o comportamento de ambos os países. Argumenta-se, no artigo, que status e identidade, ambos amplamente negligenciados pelo realismo e pelo liberalismo, desempenham um papel-chave. Tanto o Brasil quanto a Índia compartilham uma convicção fundamental de que são "grandes potências" (ou estão no caminho de se tornarem uma), e sua decisão de integrar uma instituição particular depende da habilidade dessa instituição em conferir um status às potências emergentes que seja compatível com a identidade das potências emergentes. Como mostra o exemplo do TNP, status e identidade superam outros determinantes mais comumente aceitos para o comportamento dos Estados, como as preocupações com segurança.

Keywords : Identidade; Brasil; Índia; Tratado de Não Proliferação.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese