SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.20 número2Administração tópica de cloridrato de hidralazina na viabilidade de retalho cutâneo randômico em ratosEstudo da viabilidade do enxerto de ovário na bolsa omental de ratos utilizando Ciclosporina A índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Acta Cirúrgica Brasileira

versão impressa ISSN 0102-8650versão On-line ISSN 1678-2674

Resumo

AZEVEDO, João Luiz Moreira Coutinho; SILVA, Cássio Edvan Paulino Da; AZEVEDO, Otávio Cansanção  e  SIMOES, Manoel De Jesus. Técnicas de sutura do tubo digestivo em plano único com nós atados no lume, em cães: pontos simples totais versus pontos extramucosos. Acta Cir. Bras. [online]. 2005, vol.20, n.2, pp.168-173. ISSN 1678-2674.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-86502005000200012.

OBJETIVO: Comparar a anastomose do tubo digestivo em plano único com nós atados no lume por sutura com pontos totais versus pontos extramucosos. MÉTODOS: Foram operados seis cães, com realização de duas secções transversas do jejuno a 30 cm e a 70 cm da flexura duodenojejunal e sutura, na face posterior com pontos extramucosos atados sobre a submucosa, e na face anterior com pontos totais atados sobre a mucosa. No 7º PO foram avaliadas, na face posterior, as aderências na linha de sutura e feitos exames macroscópico e microscópico. RESULTADOS: As aderências peritoneais foram mais profusas nas suturas extramucosas com tecido aderencial sobre a linha de sutura, sem reconstituição da serosa, ou com a deformidade cicatricial das serosas dos cotos angulando a anastomose. A serosa teve boa reconstituição nas suturas totais. O epitélio mucoso reconstituiu-se perfeitamente nas extramucosas, mas não nas totais. Nas suturas totais houve focos residuais de inflamação aguda.O realinhamento, a reestruturação e a regeneração das camadas (exceto a serosa, cuja regeneração foi prejudicada por aderências) foi melhor na sutura extramucosa que na total. A muscular da mucosa não se regenerou em nenhuma anastomose. Os polimorfonucleares, os macrófagos, os fibroblastos e as fibras colágenas foram mais numerosos (significância estatística) na sutura total. CONCLUSÃO: As suturas totais da parede posterior da anastomose com nós atados no lume, sobre a mucosa, são seguras, apesar da inflamação maior. A sutura extramucosa da parede posterior, com nós atados no lume, sobre a submucosa, propicia a formação de aderências peritoneais, devendo ser evitada.

Palavras-chave : Anastomose cirúrgica; Intestino delgado; Modelos animais; Cães.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons