SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.21 issue1Vital dye is enough for inguinal sentinel lymph node biopsy in melanoma patients author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Acta Cirurgica Brasileira

Print version ISSN 0102-8650
On-line version ISSN 1678-2674

Abstract

ABIB, Simone de Campos Vieira; SCHETTINI, Sergio Tomaz  and  FIGUEIREDO, Luiz Francisco Poli de. Classificação do atendimento pré-hospitalar pediátrico como instrumento para otimizar a alocação de recursos no atendimento do trauma na cidade de São Paulo, Brasil. Acta Cir. Bras. [online]. 2006, vol.21, n.1, pp.7-11. ISSN 0102-8650.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-86502006000100003.

OBJETIVO: Avaliar o atendimento pré-hospitalar de crianças e adolescentes em São Paulo, avaliar o banco de dados das Unidades de Suporte Básico (UR) e Avançado (USA) e propor um método simples e eficaz para a avaliação da gravidade do trauma pediátrico na fase pré-hospitalar. MÉTODOS: Uma única central do Corpo de Bombeiros (COBOM) coordena todo o atendimento pré-hospitalar em São Paulo. Dois bancos de dados foram analisados para crianças de 0 a 18 anos de idade, entre 1998 e 2001: um das Unidades de Suporte Básico de Vida (UR- bombeiros) e outra de Unidades de Suporte Avançado (USA - médico e bombeiros). Neste período, o Serviço de Atendimento Médico de Urgência do Estado de São Paulo (SAMU) forneceu relatórios médicos de 604 vítimas, enquanto os bombeiros forneceram relatórios de 12.761 vitimas (UR+USA). A classificação do trauma pré-hospitalar pediátrico é baseada na condição fisiológica, mecanismo de trauma e lesões anatômicas das vítimas. A classificação do trauma pré-hospitalar pediátrico foi comparada à Escala de Coma de Glasgow (GCS) e ao Escore de Trauma Revisado (RTS). RESULTADOS: Houve predominância do sexo masculino em ambos bancos de dados. O mecanismo de trauma mais freqüente foi relacionado a transporte, seguido de quedas. A mortalidade foi 1,6% nas Unidades Básicas e 9,6% no Suporte Avançado. Houve associação entre a classificação do trauma pré-hospitalar pediátrico, Escala de Coma de Glasgow (GCS) e ao Escore de Trauma Revisado (RTS) GCS e RTS (p<0,0001). CONCLUSÃO: A classificação do trauma pré-hospitalar pediátrico é um método simples e confiável para a avaliação, triagem e recrutamento de recursos para o atendimento pré-hospitalar do trauma pediátrico.

Keywords : Epidemiologia; Mortalidade; Trauma; Primeiros Socorros; Criança.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License