SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 número1Estudo histológico da reação inflamatória aguda ao implante de silicone revestido com poliuretano em ratosÉtica e pesquisa índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Acta Cirurgica Brasileira

versão On-line ISSN 1678-2674

Resumo

RICCI, Maurício Pichler; MATOS, Délcio  e  SAAD, Sarhan Sydney. Ligadura elástica e fotocoagulação com radiação infravermelha no tratamento ambulatorial da doença hemorroidária. Acta Cir. Bras. [online]. 2008, vol.23, n.1, pp. 102-106. ISSN 1678-2674.  http://dx.doi.org/10.1590/S0102-86502008000100016.

OBJETIVO: Comparar os resultados da ligadura elástica com os da fotocoagulação com radiação infravermelha no tratamento da doença hemorroidária através da análise de suas respectivas morbidades e eficácia. MÉTODOS: Foi realizado ensaio clínico casualisado com 48 pacientes portadores de doença hemorroidária graus I, II e III. Após randomização, os pacientes foram submetidos à ligadura elástica (n=23) ou fotocoagulação com radiação infravermelha (n=25). Os pacientes compareceram para consulta ambulatorial 1 semana e 4 semanas após o procedimento. A avaliação foi feita através da análise da incidência de morbidades após cada procedimento e eficácia, com quatro semanas de acompanhamento. As análises estatísticas foram realizadas através do teste do Qui-quadrado, Teste Exato de Fisher e Teste t de Student. RESULTADOS: Dos pacientes submetidos à ligadura elástica, 34,7% (8/23) apresentou sangramento após o procedimento. Após fotocoagulação, 16,0% (4/25) tiveram sangramento (p=0,243). A incidência de pacientes com dor no momento da aplicação do procedimento foi de 52,0% (13/25) após fotocoagulação com radiação infravermelha e 39,1% (9/23) após ligadura elástica (p=0,546). No entanto, ligadura elástica foi mais dolorosa após 48 horas do procedimento (p=0,044). Após ligadura elástica, 60,8% (14/23) dos pacientes necessitaram de analgésicos contra 4,0% (1/25) após fotocoagulação com radiação infravermelha (p<0,001). Um paciente submetido à ligadura elástica (4,3%) evoluiu com trombose dos mamilos ligados. Três pacientes submetidos à ligadura elástica (13,0%) e 1 (4,0%) submetido à fotocoagulação com radiação infravermelha apresentaram úlceras sintomáticas após a aplicação dos tratamentos. Dois pacientes (8,0%) submetidos à fotocoagulação com radiação infravermelha tiveram dermatite perianal. Em relação aos resultados terapêuticos 73,9% dos pacientes submetidos à ligadura elástica e 72,0% daqueles tratados com fotocoagulação com radiação infravermelha estavam assintomáticos após 1 mês de tratamento. A ligadura elástica foi eficaz no controle do sangramento de 90,0% dos pacientes e a fotocoagulação com radiação infravermelha foi eficaz no controle do sangramento em 93,7%. No controle do prolapso, a ligadura elástica foi eficaz em 82,4% dos pacientes e a fotocoagulação com radiação infravermelha em 87,5%. Diferenças não significantes. CONCLUSÃO: A ligadura elástica causa significantemente mais dor que a fotocoagulação com radiação infravermelha na primeira semana após a aplicação dos procedimentos e a eficácia dos métodos são semelhantes após quatro semanas de tratamento.

Palavras-chave : Hemorróidas/terapia; Ligadura; Fotocoagulação; Ensaio controlado aleatório.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · pdf em Inglês