SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.26 issue2Nutritional status and iron deficiency among children enrolled in a day care center before and after 15 months of nutritional managementNonalcoholic fatty liver disease in obese children author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Paulista de Pediatria

Print version ISSN 0103-0582On-line version ISSN 1984-0462

Abstract

ZAMBON, Mariana Porto; ANTONIO, Maria Ângela R. G. M.; MENDES, Roberto Teixeira  and  BARROS FILHO, Antônio de Azevedo. Crianças e adolescentes obesos: dois anos de acompanhamento interdisciplinar. Rev. paul. pediatr. [online]. 2008, vol.26, n.2, pp.130-135. ISSN 1984-0462.  https://doi.org/10.1590/S0103-05822008000200006.

OBJETIVO: Avaliar dois anos de seguimento de crianças e adolescentes obesos em ambulatório especializado. MÉTODOS: Trata-se de coorte, com coleta retrospectiva dos dados de 150 pacientes (1 a 19 anos de idade) do Ambulatório de Obesidade do Hospital de Clínicas da Universidade Estadual de Campinas. Destes pacientes, 53% eram do sexo masculino e 63% eram de Campinas, São Paulo. A média da idade no início de ganho de peso foi 4,3 anos. Dos 150 pacientes, 128 retornaram uma vez, com avaliação de peso, altura, índice de massa corpórea (IMC) e escores Z. Foram realizados hemograma, glicemia de jejum, insulina basal, relação glicemia/insulina, triglicérides, colesterol total e frações. Os pacientes foram divididos em dois grupos, de acordo com o seguimento. Entre os grupos, foi analisada a diferença entre idade, sexo, procedência, idade de início, acantose nigricans e os escores Z de peso, altura e IMC, proporção de exames laboratoriais alterados e a diferença dos escores Z de IMC em relação à primeira consulta. RESULTADOS: Dos 128 pacientes, 57% permaneceram em seguimento, sendo que 114 retornaram pelo menos uma vez. Comparando os grupos, os moradores de Campinas foram os que mais abandonaram o ambulatório, sem diferenças em relação às demais variáveis clínicas, antropométricas e laboratoriais estudadas. Houve queda da média do escore Z do IMC em ambos os grupos, em relação à consulta inicial. CONCLUSÕES: Os pacientes deste estudo apresentaram redução da média do escore Z do IMC semelhante à literatura. Apesar do alto índice de abandono, não foram identificados fatores de risco que o justificassem, com exceção da procedência da criança.

Keywords : obesidade; antropometria; testes hematológicos; criança; adolescente.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License