SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.26 issue2Prevalence of obesity in children and adolescents with type 1 diabetes mellitusTotal energy supplied by the human milk from mothers of triplet, twin and single neonates author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Paulista de Pediatria

Print version ISSN 0103-0582On-line version ISSN 1984-0462

Abstract

SANTIAGO, Sandra Quintino; SILVA, Maria de Lourdes P. da; DAVIDSON, Josy  and  ARISTOTELES, Luciana Ritha de C. R. B.. Avaliação da força muscular respiratória em crianças e adolescentes com sobrepeso/obesos. Rev. paul. pediatr. [online]. 2008, vol.26, n.2, pp.146-150. ISSN 1984-0462.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-05822008000200009.

OBJETIVO: Avaliar a força muscular respiratória de crianças e adolescentes com sobrepeso ou obesidade. MÉTODOS: Estudo transversal com crianças e adolescentes entre quatro e 15 anos de idade de duas instituições de ensino fundamental e uma clínica de nutrição. As crianças foram avaliadas e classificadas em dois grupos, de acordo com a curva proposta pelo National Center for Health Statistics: sobrepeso/obesos (GSO, índice de massa corpórea (IMC) em relação à idade e ao sexo acima do percentil 85) e eutróficos (GE, IMC entre percentil 5 e 85). Para avaliar as pressões inspiratória máxima (PImax) e expiratória máxima (PEmax) foram realizadas três medidas com um manovacuômetro, considerando-se a maior medida a partir da capacidade máxima inspiratória e expiratória. Aplicou-se o teste t para as variáveis quantitativas e o qui-quadrado para as qualitativas. Para ajuste das covariáveis, foi feita a análise de covariância, sendo significante p<0,05. RESULTADOS: Foram avaliadas 69 crianças: 37 (54%) do GSO e 32 (46%) eutróficos. O GSO apresentou menor idade (9,8±2,3 versus 10,9±1,9 anos; p=0,03). A PImax foi 71,4±24,9cmH2O no GSO e 89,6±19,6cmH2O nos eutróficos (p=0,002). A PEmax foi 71,9±24,8cmH2O no GSO e 95,6±19,6cmH2O nos eutróficos (p<0,001). Não houve diferenças quanto ao sexo e à prática de atividade física. Ajustando-se os valores em relação à idade, somente a PEmax manteve-se diferente entre os grupos (p=0,003). CONCLUSÕES: A força muscular expiratória mostrou-se diminuída nesta amostra de crianças e adolescentes com sobrepeso/obesidade, indicando que a obesidade pode comprometer a mecânica pulmonar dessa população.

Keywords : sobrepeso; obesidade; força muscular; pulmão; criança.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License