SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.26 issue4Findings of gastroduodenal endoscopy in children and adolescents of Sergipe, BrazilPrevalence of neural tube defects in Vale do Paraíba, São Paulo, Brazil author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Paulista de Pediatria

Print version ISSN 0103-0582On-line version ISSN 1984-0462

Abstract

BISCEGLI, Terezinha Soares; ARROYO, Helena Hotz; HALLEY, Nathália da Silva  and  DOTOLI, Giuliana Martinelli. Violência doméstica contra crianças: nível de conhecimento dos pais de crianças em escolas pública e privada. Rev. paul. pediatr. [online]. 2008, vol.26, n.4, pp.366-371. ISSN 1984-0462.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-05822008000400010.

OBJETIVO: Investigar o conhecimento dos pais ou responsáveis por crianças matriculadas no ensino fundamental sobre a violência infantil e identificar a sua postura em relação à educação de seus filhos. MÉTODOS: Trata-se de um estudo descritivo. Os dados foram coletados a partir de um questionário, que abordava questões sobre violência infantil e práticas educativas, respondido pelos pais/responsáveis de alunos matriculados em uma escola pública e, em outra particular, em Catanduva, São Paulo. RESULTADOS: Foram aplicados 1.429 questionários na escola pública e 256 na particular, havendo retorno de, respectivamente, 670 (47%) e 115 (45%) deles. As respostas foram (particular/pública): 1) não aceitam que educadores punam com castigos físicos (99/96%); 2) chamam atenção dos filhos diante de comportamento inadequado (90/92%); 3) discordam que "palmada" prepara a criança para a vida (80/66%); 4) acham incorreto repreender os filhos na frente de outros (87/73%); 5) concordam que "tapas/palmadas" prejudicam o relacionamento pais/filhos (59/57%); 6) concordam que conversar sobre "erros" faz parte da educação (97/91%); 7) concordam que "xingar" causa danos à criança (81/60%); 8) acham que "medo" não significa "respeito" (86/57%); 9) concordam que "criança não esquece fácil"(92/79%); 10) concordam com a notificação de violência infantil (93/90%); 11) preocupam-se com a violência na casa alheia (51/30%); 12) sabem que agressões domésticas podem levar à morte (97/94%); 13) consideram baixa a violência em seus lares (89/86%). Houve diferença significativa entre os grupos para as respostas às questões 3, 4, 7, 8, 9 e 11 (p<0,001). CONCLUSÕES: Os entrevistados demonstraram conhecimento satisfatório sobre violência infantil, embora os da escola pública tenham apresentado pior desempenho nas questões relacionadas à educação familiar.

Keywords : violência doméstica; maus-tratos infantis; família; educação infantil.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · Portuguese ( pdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License