SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 número2Factores de riesgo para mortalidad infantil en municipios de la Provincia de Paraná (Brasil), de 1997 a 2008Estrategias de campo en ensayos clínicos con nuevas vacunas producidas en Brasil índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Servicios Personalizados

Articulo

Indicadores

Links relacionados

  • En proceso de indezaciónCitado por Google
  • No hay articulos similaresSimilares en SciELO
  • En proceso de indezaciónSimilares en Google

Compartir


Revista Paulista de Pediatria

versión impresa ISSN 0103-0582

Resumen

BELO, Vinícius Silva et al. Fatores associados à ocorrência de parasitoses intestinais em uma população de crianças e adolescentes. Rev. paul. pediatr. [online]. 2012, vol.30, n.2, pp. 195-201. ISSN 0103-0582.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-05822012000200007.

OBJETIVOS: Analisar a prevalência de infecções por parasitos intestinais em crianças e adolescentes matriculados em escolas de ensino fundamental no município de São João del-Rei, Minas Gerais, e os fatores associados à infecção. MÉTODOS: Estudo epidemiológico seccional, realizado entre março/2008 e julho/2009. Foram realizados exames coproscópicos por sedimentação espontânea e Kato-Katz em 1.172 escolares. Foram ajustados modelos de regressão logística múltipla para o estudo dos fatores associados às infecções em geral e, separadamente, por helmintos e por protozoários. RESULTADOS: A prevalência de infecções foi de 29%, havendo uma variação de 7 a 83%, respectivamente, entre as escolas de menor e maior ocorrência. A presença de instalação sanitária no domicílio foi associada a uma ocorrência menor de helmintos; o aumento na idade dos escolares associou-se a uma maior ocorrência de protozoários e de parasitos em geral; enquanto a presença de filtro de água e a localização do domicílio em área urbana mostraram-se associadas a uma ocorrência menor dos três desfechos analisados. Em todas as regiões, foi registrado o consumo de medicação preventiva contra helmintos. CONCLUSÕES: Desigualdades nas condições de vida tornaram as prevalências diferenciadas entre as regiões do estudo. O estudo ressalta a necessidade de promover o uso de filtros de água nas residências de áreas endêmicas e de avaliar o consumo preventivo de medicamentos anti-helmínticos na dinâmica e na saúde dos indivíduos. Medidas de controle que levem em conta os fatores descritos devem ser prioritárias em nível de Saúde Pública.

Palabras clave : infecções por protozoários; helmintos; epidemiologia; fatores de risco; desigualdades em saúde.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Portugués | Inglés     · Inglés (pdf) | Portugués (pdf) Portugués (epdf)