SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 número2Inactividad física en el ocio en jóvenes de Feira de Santana, Bahia, BrasilEstadio de prontitud para cambio de comportamiento de adolescentes interesados en ingresar en el Programa Multiprofesional de Tratamiento de la Obesidad índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Revista Paulista de Pediatria

versión impresa ISSN 0103-0582

Resumen

GONCALVES, Vivian Siqueira S. et al. Disponibilidade domiciliar de lipídeos para consumo e sua relação com os lipídeos séricos de adolescentes. Rev. paul. pediatr. [online]. 2012, vol.30, n.2, pp. 229-236. ISSN 0103-0582.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-05822012000200012.

OBJETIVO: Relacionar a disponibilidade domiciliar de lipídeos para consumo e o perfil lipídico sérico de adolescentes. MÉTODOS: Estudo transversal observacional. Avaliaram-se 95 adolescentes púberes de 10 a 13 anos de escolas públicas em Viçosa, Minas Gerais. Utilizou-se uma lista de compras mensal para avaliar a disponibilidade de alimentos per capita. Coletou-se amostra de sangue dos adolescentes, adotando-se o preconizado pela Sociedade Brasileira de Cardiologia como referência para adequação do perfil lipídico. Para as variáveis categóricas realizou-se o teste do qui-quadrado e calculou-se a Odds Ratio. Para comparar os grupos, aplicaram-se os testes Mann-Whitney ou t de Student, Kruskall-Wallis ou ANOVA. Verificou-se relação entre exames bioquímicos e disponibilidade de lipídeos pelas correlações de Spearmam ou de Pearson. RESULTADOS: Da energia total disponível, 27,2% foram provenientes de lipídeos. A disponibilidade de ácidos graxos saturados, monoinsaturados e poli-insaturados esteve de acordo com a recomendação de consumo. Em relação aos lipídeos séricos, 51,9% dos meninos e 55,8% das meninas apresentaram alterações de colesterol total (p=0,66); 18,6 e 25,6%, dos meninos e das meninas, respectivamente, apresentaram elevação de triglicerídeos, (meninas>meninos; p=0,02). Em relação ao LDL, 21,2 e 32,6% dos meninos e das meninas, respectivamente, apresentaram alterações (p=0,91). A prevalência de inadequação para HDL foi de 26,9 e 30,2% (p=0,93), para meninos e meninas, respectivamente. Não houve correlação entre os lipídeos disponíveis para consumo e os lipídeos séricos. Os adolescentes que possuíam mais que 35% de lipídeos disponíveis para consumo tiveram 9,1 vezes mais chances de apresentarem alterações de colesterol total (IC95% 1,81-61,74). CONCLUSÕES: É possível que adolescentes com maior disponibilidade de lipídeos para consumo apresentem colesterol total mais elevado.

Palabras llave : gorduras na dieta; dislipidemias; nutrição do adolescente.

        · resumen en Español | Inglés     · texto en Portugués | Inglés     · pdf en Inglés | Portugués