SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.30 issue2Stage of readiness to change of behavior in adolescents interested in joining the Multiprofessional Obesity Treatment ProgramInfluence of prone position on oxigenation, respiratory rate and muscle strength in preterm infants being weaned from mechanical ventilation author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Revista Paulista de Pediatria

Print version ISSN 0103-0582

Abstract

CHAVES, Gabriela Suéllen S. et al. Comparação das pressões respiratórias máximas entre escolares das redes pública e privada. Rev. paul. pediatr. [online]. 2012, vol.30, n.2, pp. 244-250. ISSN 0103-0582.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-05822012000200014.

OBJETIVO: Comparar os valores obtidos das pressões inspiratórias máximas (PImáx) e pressões expiratórias máximas (PEmáx) entre estudantes das redes pública e privada de ensino. MÉTODOS: Estudo observacional do tipo descritivo transversal. Foram avaliadas 144 crianças nas duas redes de ensino. As pressões respiratórias máximas foram mensuradas com o MVD300 (Globalmed®). Aplicou-se o teste t de Student não pareado para comparar as médias das variáveis estudadas e o teste do qui-quadrado para comparar a frequência de crianças que realizavam ou não atividade física. RESULTADOS: Os alunos das escolas privadas e públicas apresentaram, respectivamente, média de PImáx 77,0±21,5 e 65,7±18,7cmH2O (p=0,002) e PEmáx 90,1±22,5 e 79,4±19,0cmH2O (p=0,005). Os meninos, das escolas privadas e públicas, apresentaram médias de PImáx 85,0±20,8 e 74,4±17,1cmH2O (p=0,051) e PEmáx 98,5±2,5 e 89,2±16,3cmH2O (p=0,103), respectivamente. As meninas, das escolas privadas e públicas, apresentaram médias de PImáx 70,0±19,8 e 60,2±17,8cmH2O (p=0,027) e PEmáx 82,6±20,0 e 73,2±18,1cmH2O (p=0,035), respectivamente. Aproximadamente 40% dos alunos da rede pública e 95% dos alunos da rede privada realizavam atividade física. As crianças que realizavam ou não atividade física apresentaram PImáx 76,0±20,7 e 63,2±20,0cmH2O (p=0,002) e PEmáx 89±21,6 e 77,4±20,5cmH2O (p=0,006), respectivamente. CONCLUSÕES: A força muscular respiratória dos alunos da rede privada foi significativamente superior à dos alunos da rede pública, especialmente entre as meninas. Possivelmente, essa diferença esteja relacionada à prática de atividade física, mais frequentemente observada nas escolas privadas.

Keywords : instituições acadêmicas; atividade motora; força muscular.

        · abstract in English | Spanish     · text in English | Portuguese     · pdf in English | Portuguese