SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.22 issue4Gender, adversity, and socioemotional problems related to school distressSchool development and adolescents' drug abuse author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Estudos de Psicologia (Campinas)

Print version ISSN 0103-166X

Abstract

GOMES, Aline Grill  and  PICCININI, Cesar Augusto. A ultra-sonografia obstétrica e a relação materno-fetal em situações de normalidade e anormalidade fetal. Estud. psicol. (Campinas) [online]. 2005, vol.22, n.4, pp. 381-393. ISSN 0103-166X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-166X2005000400006.

A ultra-sonografia obstétrica já é considerada um exame de rotina no pré-natal. Esse procedimento inaugurou uma nova forma de contato com o universo intra-uterino, além de ter passado a antecipar dados reais do bebê que antes só eram conhecidos após o seu nascimento. Hoje é possível saber o sexo do bebê, visualizar suas características físicas e maneiras de se movimentar, bem como fazer um diagnóstico de anormalidade fetal. Assim, a crescente utilização da ultra-sonografia parece afetar a relação pais-feto. Diversos estudos têm sido realizados a respeito das repercussões psicológicas da ultra-sonografia obstétrica na relação materno-fetal. O presente artigo revisa os principais achados desses estudos destacando tanto as situações de normalidade quanto de anormalidade fetal. Embora não haja consenso quanto ao impacto da ultra-sonografia para a relação materno-fetal, os estudos são unânimes em reconhecer o impacto emocional desse momento em situações de normalidade e, especialmente, nos casos de anormalidade fetal. Assim sendo, é necessário atentar também para os aspectos psicológicos desse exame e para seu potencial de afetar a relação pais-bebê.

Keywords : anormalidade fetal; gestantes; relação mãe-feto; ultra-sonografia obstétrica.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese