SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.50 issue2Interpreter, you will beTranslation and impropriety: a reading of Claude Bleton's les Nègres du Traducteur author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Trabalhos em Linguística Aplicada

Print version ISSN 0103-1813

Abstract

VERAS, Viviane. Verdade em tradução: um testemunho da dor das palavras. Trab. linguist. apl. [online]. 2011, vol.50, n.2, pp. 459-478. ISSN 0103-1813.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-18132011000200014.

O objetivo da Comissão de Verdade e Reconciliação (CVR), instituída na África do Sul em julho de 1995 e estendendo-se até agosto de 1997, é possibilitar uma reconciliação nacional, evitando o banho de sangue e instaurando a paz civil. Dizer a verdade, a full disclosure, é o que se exige de cada um que pede a anistia. Não se trata, portanto, de uma anistia geral, concedida de forma automática. Uma vez que a comissão sustenta que é possível "fazer coisas com as palavras", busca-se nas narrativas e nos testemunhos de todos os envolvidos uma verdade suficiente para produzir um consenso, o reconhecimento do passado e a assunção dos crimes, em oposição a uma cultura de impunidade. Nesse contexto, minha proposta é pensar a relação entre tradução e testemunho, pensar o intérprete tradutor como testemunha, sublinhando o fato de que a língua da Comissão, o inglês, é uma língua de tradução, não é a língua das vítimas nem dos torturadores.

Keywords : tradução-interpretação; testemunho; comissão verdade reconciliação.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese