SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 issue1Negative philosophy? Bourdieu and the foundations of reasonThe young Marx and the concept of alienation author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Tempo Social

Print version ISSN 0103-2070

Abstract

FERREIRA, Jonatas. Heidegger, Agamben e o animal. Tempo soc. [online]. 2011, vol.23, n.1, pp. 199-221. ISSN 0103-2070.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-20702011000100010.

Neste ensaio analiso a reflexão filosófica heideggeriana acerca da relação entre o ser humano e o animal, tal como esta se apresenta particularmente em obras como Carta sobre o humanismo, A caminho da linguagem ou Os conceitos fundamentais da metafísica. Nosso objetivo é demonstrar a importância dessa contribuição para entendermos o modo como Giorgio Agamben interpreta o conceito foucaultiano de biopoder. Assim, para Agamben, a animalização da política não é um fenômeno moderno, mas diz respeito àquilo que permanece impensado na metafísica como um todo. De fato, sua crítica mais ampla à cultura política ocidental, e que não se atém apenas a formas modernas de administração da vida, passa pela reflexão heideggeriana sobre o niilismo, sobre a metafísica e sobre a incômoda figura do animal. Nosso propósito final é discutir, com Agamben, mas também com Derrida, em que medida Heidegger consegue oferecer um quadro teórico capaz de pensar o biopoder contemporâneo num terreno radicalmente diferente daquele que nos foi legado pela metafísica.

Keywords : Heidegger; Agamben; Animal; Humanismo; Niilismo.

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese