SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.12 número3Atividade de galactinol sintase de semente de soja determinada por um novo ensaio calorimétricoComposição e mobilização de reserva da semente de Euphorbia heterophylla durante a germinação e desenvolvimento inicial da plântula índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Fisiologia Vegetal

versão impressa ISSN 0103-3131

Resumo

SOARES, CLÁUDIO ROBERTO FONSÊCA SOUSA et al. Crescimento e nutrição mineral de Eucalyptus maculata e Eucalyptus urophylla em solução nutritiva com concentração crescente de cobre. Rev. Bras. Fisiol. Veg. [online]. 2000, vol.12, n.3, pp.213-225. ISSN 0103-3131.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-31312000000300005.

Avaliou-se o efeito de concentrações crescentes de Cu no crescimento, teores e translocação de metais pesados e nutrientes no eucalipto em solução nutritiva. Mudas de Eucalyptus maculata e Eucalyptus urophylla foram crescidas em vasos de 2L contendo solução nutritiva de Clark, adicionando-se 0, 32, 64, 128 e 192 m M de Cu fornecido como CuSO4. Após cinco semanas de exposição aos tratamentos, as plantas exibiram sintomas típicos de toxidez de Cu como manchas aquosas foliares, clorose e necrose internerval, além do escurecimento das raízes e inibição do crescimento mesmo nas menores concentrações do elemento. A concentração crítica de Cu na solução para reduzir em 10% a matéria seca da parte aérea foi de 8,3 mM e 3,3 mM para E. urophylla e E. maculata, respectivamente. O nível crítico de toxidez na matéria seca da parte aérea foi muito baixo, entre 12 e 13 mg Kg-1 para ambas espécies. E. urophylla mostrou-se menos sensível do que E. maculata, sendo isso relacionado à capacidade dessa em restringir a translocação do Cu das raízes para a parte aérea. Além disso, E. urophylla absorveu mais Fe na presença do excesso de Cu. A translocação de Fe das raízes para a parte aérea foi reduzida, independentemente da espécie, de 27% no controle para apenas 12% na concentração de 192 m M Cu, evidenciando a alta interferência do Cu na translocação do Fe, podendo ser uma das causas da fitotoxidez do Cu para o eucalipto. Altas concentrações de Cu não causaram redução na absorção e translocação de P, K, S, Ca e Mg, não representando, portanto, mecanismo de fitotoxidez desse metal pesado para essas espécies.

Palavras-chave : Metal pesado; eucalipto; níveis críticos de toxidez; árvores florestais; absorção; translocação.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons