SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.13 issue1Aluminum effects on citric and malic acid excretion in roots and calli of rice cultivarsSeed storage proteins in coffee author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Services on Demand

Journal

Article

Indicators

Related links

Share


Revista Brasileira de Fisiologia Vegetal

Print version ISSN 0103-3131

Abstract

DA MATTA, FÁBIO M.; LOOS, RODOLFO A.; RODRIGUES, RODRIGO  and  BARROS, RAIMUNDO S.. Taxas fotossintéticas atual e potencial de espécies tropicais cultivadas. Rev. Bras. Fisiol. Veg. [online]. 2001, vol.13, n.1, pp.24-32. ISSN 0103-3131.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-31312001000100003.

Compararam-se as taxas fotossintéticas atual (A) e potencial (Apot) de espécies tropicais C3 e C4 cultivadas sob condições de casa-de-vegetação. Foram estudadas as seguintes espécies: Oryza sativa, Phaseolus vulgaris, Glycine max, Helianthus annuus, Gossypium hirsutum, Manihot esculenta, Theobroma cacao, Coffea arabica, Hevea brasiliensis, e Eucalyptus urophylla × E. grandis, todas do grupo C3, e Amaranthus sp., Panicum maximum, Pennisetum purpureum, Zea mays e Saccharum officinarum, do grupo C4. A, determinada sob alta irradiância e temperatura e CO2 ambientes, foi medida com um analisador de gases a infravermelho, enquanto Apot, determinada sob luz e CO2 saturantes e à temperatura ótima (35 oC para todas as espécies), foi medida com um eletrodo de oxigênio de fase gasosa. Em base de área, A variou desde 5,0 até 26,3 mmol CO2 m-2 s-1, enquanto Apot foi similar em 14 das 15 espécies avaliadas, com uma taxa média de 35.0 ± 2.4 mmol O2 m-2 s-1. Observou-se um padrão diferencial em T. cacao, em que Apot decresceu, aproximadamente, em 50% em relação a Apot das demais espécies estudadas. Em base de massa, as variações em A foram bem maiores e diferenças em Apot, embora não expressivas, puderam ser observadas. Os valores médios de Apot por unidade de massa, nas quatro espécies lenhosas, foi 28.0 ± 2.2 mmol O2 g-1 min-1, contra 44.6 ± 5.8 mmol O2 g-1 min-1 nas espécies remanescentes. Como um todo, os resultados evidenciaram um comportamento conservado do aparelho fotossintético, em termos de fixação do CO2, nas espécies estudadas, a despeito das largas diferenças em A entre elas.

Keywords : Área foliar específica; evolução do oxigênio fotossintético; taxa de assimilação do carbono.

        · abstract in English     · text in English     · English ( pdf epdf )

 

Creative Commons License All the contents of this journal, except where otherwise noted, is licensed under a Creative Commons Attribution License