SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
 número33A dimensão do afeto e a influência da psicanálise na conceitualização do populismo de Ernesto LaclauA ausência eloquente: ciência política brasileira, povos indígenas e o debate acadêmico canadense contemporâneo índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Revista Brasileira de Ciência Política

versão impressa ISSN 0103-3352versão On-line ISSN 2178-4884

Resumo

HOFF, Natali  e  BLANCO, Ramon. A pacificação como governo: as UPPs cariocas como dispositivos da governamentalidade global. Rev. Bras. Ciênc. Polít. [online]. 2020, n.33, e234222.  Epub 09-Nov-2020. ISSN 2178-4884.  https://doi.org/10.1590/0103-3352.2020.33.234222.

Este artigo analisa como o conceito de “cidade falida” contribui para delimitar as cidades como um novo espaço de ingerência da governamentalidade global. Para evidenciar essa relação, o artigo analisa as iniciativas de pacificação promovidas no Rio de Janeiro a partir de 2008 com a criação das unidades de Polícia Pacificadora (UPPs). O caso é analisado sob a luz das contribuições teóricas e conceituais desenvolvidas por Michel Foucault e da ideia de governamentalidade global. O argumento central deste trabalho consiste na ideia de que as UPPs se constituíram em dispositivos de governo altamente militarizados com o objetivo de pacificar as favelas cariocas por meio da sua ocupação territorial e pelo estabelecimento de um regime de policiamento permanente. Esses dispositivos, por sua vez, estão relacionados com práticas e racionalidades nacionais e internacionais direcionadas ao controle da vida nas cidades, consideradas violentas e instáveis, como forma de pacificação das mesmas.

Palavras-chave : cidades falidas; pacificação; UPP; governamentalidade global.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )