SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.31 número89Justiça espacial e justiça socioambiental: uma primeira aproximaçãoAlimentação e sustentabilidade índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Estudos Avançados

versão impressa ISSN 0103-4014versão On-line ISSN 1806-9592

Resumo

SANCHEZ, Luis Enrique. Por que não avança a avaliação ambiental estratégica no Brasil?. Estud. av. [online]. 2017, vol.31, n.89, pp.167-183. ISSN 0103-4014.  http://dx.doi.org/10.1590/s0103-40142017.31890015.

Embora discutida em certos círculos acadêmicos e governamentais há mais de vinte anos, a Avaliação Ambiental Estratégica (AAE) pouco avança no país. São conhecidos cerca de 40 AAE, mas seus resultados são pífios, se considerada sua influência sobre processos decisórios. A AAE não deveria estar limitada a planos, programas ou políticas de setores cujos principais projetos já são objeto de licenciamento ambiental, mas voltada primordialmente para políticas públicas cujas consequências socioambientais são hoje amplamente ignoradas, a exemplo das macroeconômicas. Para avançar, é preciso evidenciar as vantagens da AAE para os tomadores de decisão e encontrar formas de superar a desconfiança que tem os políticos, em todos os níveis de governo, de um processo que percebem como redutor de sua margem de discrição e poder decisório. Inevitavelmente, a AAE exige maior transparência e melhor governança. Esse é o grande obstáculo à sua adoção no Brasil.

Palavras-chave : Planejamento; Políticas públicas; Impactos socioambientais; Objetivos de desenvolvimento sustentável.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )