SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.33 número95Desequilíbrio financeiro, missões da universidade e avaliação - Autorreflexão na USPTerritórios e alianças políticas do pós-ambientalismo índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Estudos Avançados

versão impressa ISSN 0103-4014versão On-line ISSN 1806-9592

Resumo

BEVILACQUA, LUIZ. O último trem para Alexandria. Estud. av. [online]. 2019, vol.33, n.95, pp.51-64. ISSN 0103-4014.  http://dx.doi.org/10.1590/s0103-4014.2019.3395.0005.

A revolução industrial iniciada com o apoio do desenvolvimento científico do século XVIII introduziu modificações na estrutura social em todo o mundo. Artesãos foram dispensados, sendo a produção industrial transferida para os grandes complexos fabris. Países que não foram capazes de acompanhar a nova estrutura de produção, nem de privilegiar o conhecimento e a criatividade foram dominados e ficaram sujeitos a uma dependência socioeconômica que se prolonga até hoje. Nos nossos dias, está em marcha a “revolução cultural” sustentada pela tecnologia. Várias universidades vão ser descontinuadas, serão criados grandes centros transnacionais de produção científica e cultural, vários professores, os artesãos dos tempos modernos, serão dispensados e o aprendizado vai recorrer ao auxílio da rede de informação instalada no planeta. Estamos prestes a sermos engolidos pela nova revolução. Há saídas, mas precisamos de coragem, ousadia e muito trabalho em uma rede de cooperação nacional.

Palavras-chave : Revolução industrial; Revolução cultural; Nova universidade; Flutuações tecnológicas; Ensino a distância; Novos currículos; Cultura nacional; Alexandria.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf )