SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.23 número3Hemodynamic and perfusion variables during experimental septic shock treated with goal-directed fluid resuscitationGender and mortality in sepsis: do sex hormones impact the outcome? índice de autoresíndice de materiabúsqueda de artículos
Home Pagelista alfabética de revistas  

Revista Brasileira de Terapia Intensiva

versión impresa ISSN 0103-507X

Resumen

LIMA, Wildberg Alencar; CAMPELO, Antônio Roberto Leite; GOMES, Rodrigo Luís Mousinho  y  BRANDAO, Daniella Cunha. Repercussão da pressão positiva expiratória final na pressão de perfusão cerebral em pacientes adultos com acidente vascular hemorrágico. Rev. bras. ter. intensiva [online]. 2011, vol.23, n.3, pp. 291-296. ISSN 0103-507X.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-507X2011000300006.

A pressão positiva intratorácica pode levar a alterações hemodinâmicas com repercussão no compartimento intracraniano, alterando a pressão intracraniana e a pressão de perfusão cerebral. Esse efeito pode se tornar mais intenso quando utilizados elevados valores de pressão positiva expiratória final. OBJETIVO: Medir o impacto que diferentes valores de pressão positiva expiratória final causam na pressão intracraniana, na pressão de perfusão cerebral e pressão arterial média. MÉTODO: O estudo foi desenvolvido em uma unidade de terapia intensiva neurológica envolvendo 25 pacientes adultos com acidente vascular cerebral hemorrágico, ventilados mecanicamente no modo com controle pressórico de vias aéreas. Foram instituídos valores de pressão positiva expiratória final variando de 0 a 14 cmH2O, de forma aleatória através de sorteio, utilizando valores pares. A monitorização das variáveis estudadas ocorreu após cinco minutos em cada patamar de pressão positiva expiratória final. RESULTADOS: O incremento da pressão positiva expiratória final aumentou a pressão intracraniana, (p < 0,001) sem causar alteração estatisticamente significativa na pressão arterial média ou na pressão de perfusão cerebral. CONCLUSÃO: Na população estudada, de pacientes com acidente vascular cerebral hemorrágico, os achados mostraram que valores de pressão positiva expiratória final até 14 cmH2O, não alteram a pressão de perfusão cerebral e a pressão arterial média, aumentando a pressão intracraniana, porém sem relevância clínica

Palabras llave : Pressão intracraniana; Pressão positiva expiratória final; Acidente cerebral vascular.

        · resumen en Inglés     · texto en Portugués | Inglés     · pdf en Inglés | Portugués