SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 número4Avaliação da mobilização neural sobre o ganho de amplitude de movimentoAnsiedade e parâmetros funcionais respiratórios de idosos praticantes de dança índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Artigo

Indicadores

Links relacionados

  • Não possue artigos similaresSimilares em SciELO

Compartilhar


Fisioterapia em Movimento

versão impressa ISSN 0103-5150

Resumo

ROLIM, Jaqueline Fernandes Cruz; MORAES, Nelson Henrique Lopes de  e  UCHOA JUNIOR, José Ribeiro. Variáveis hemodinâmicas, hemogasométricas e respiratórias em pacientes cardiopatas submetidos ao teste de respiração espontânea. Fisioter. mov. [online]. 2011, vol.24, n.4, pp. 673-682. ISSN 0103-5150.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-51502011000400011.

CONTEXTUALIZAÇÃO: Apesar de existirem situações em que há necessidade da ventilação mecânica (AVM), sua retirada (desmame) deve ocorrer tão breve quanto possível, sendo o teste de respiração espontânea (TRE) uma ferramenta útil para abreviar e reduzir os riscos. Existem diversas formas de realizar o TRE, porém, em pacientes cardiopatas, o mais eficaz parece ser associado à pressão de suporte (PSV) e à pressão positiva no final da expiração (PEEP). OBJETIVO: Analisar, ao início e ao término do TRE no modo PSV, o comportamento das variáveis hemodinâmicas, hemogasométricas e respiratórias em pacientes cardiopatas. MÉTODO: 22 pacientes cardiopatas foram submetidos ao TRE por 30 minutos, dos quais cinco foram excluídos e 17 conseguiram concluir o teste. Para mensuração da força muscular inspiratória e da mecânica respiratória, avaliou-se imediatamente antes do TRE: pressão inspiratória inicial e inspiratória máxima, resistência das vias aéreas, complacência estática e dinâmica seguida da avaliação do volume corrente, frequência respiratória, parâmetros hemodinâmicos e hemogasométricos. Todos os parâmetros foram reavaliados 30 minutos após o TRE. RESULTADOS: Os valores tratados na análise estatística dessas variáveis não apresentaram diferença significativa, apenas o índice de desmame ventilatório mostrou variação significativa (p = 0,011). CONCLUSÃO: Por meio do presente estudo, percebeu-se que a maior parte dos pacientes cardiopatas submetidos ao TRE utilizando PSV manteve-se em estabilidade hemodinâmica, hemogasométrica e respiratória. Além disso, percebeu-se que cerca de 82% obteve sucesso ao desmame, sugerindo que PSV é um método seguro e eficaz na interrupção AVM. Contudo, por causa da amostra reduzida, o desenvolvimento de estudos semelhantes torna-se necessário.

Palavras-chave : Desmame; Ventilação mecânica; Avaliação.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · pdf em Português