SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.24 número4Avaliação da mobilização neural sobre o ganho de amplitude de movimentoAnsiedade e parâmetros funcionais respiratórios de idosos praticantes de dança índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Fisioterapia em Movimento

versão On-line ISSN 1980-5918

Resumo

ROLIM, Jaqueline Fernandes Cruz; MORAES, Nelson Henrique Lopes de  e  UCHOA JUNIOR, José Ribeiro. Variáveis hemodinâmicas, hemogasométricas e respiratórias em pacientes cardiopatas submetidos ao teste de respiração espontânea. Fisioter. mov. [online]. 2011, vol.24, n.4, pp.673-682. ISSN 1980-5918.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-51502011000400011.

CONTEXTUALIZAÇÃO: Apesar de existirem situações em que há necessidade da ventilação mecânica (AVM), sua retirada (desmame) deve ocorrer tão breve quanto possível, sendo o teste de respiração espontânea (TRE) uma ferramenta útil para abreviar e reduzir os riscos. Existem diversas formas de realizar o TRE, porém, em pacientes cardiopatas, o mais eficaz parece ser associado à pressão de suporte (PSV) e à pressão positiva no final da expiração (PEEP). OBJETIVO: Analisar, ao início e ao término do TRE no modo PSV, o comportamento das variáveis hemodinâmicas, hemogasométricas e respiratórias em pacientes cardiopatas. MÉTODO: 22 pacientes cardiopatas foram submetidos ao TRE por 30 minutos, dos quais cinco foram excluídos e 17 conseguiram concluir o teste. Para mensuração da força muscular inspiratória e da mecânica respiratória, avaliou-se imediatamente antes do TRE: pressão inspiratória inicial e inspiratória máxima, resistência das vias aéreas, complacência estática e dinâmica seguida da avaliação do volume corrente, frequência respiratória, parâmetros hemodinâmicos e hemogasométricos. Todos os parâmetros foram reavaliados 30 minutos após o TRE. RESULTADOS: Os valores tratados na análise estatística dessas variáveis não apresentaram diferença significativa, apenas o índice de desmame ventilatório mostrou variação significativa (p = 0,011). CONCLUSÃO: Por meio do presente estudo, percebeu-se que a maior parte dos pacientes cardiopatas submetidos ao TRE utilizando PSV manteve-se em estabilidade hemodinâmica, hemogasométrica e respiratória. Além disso, percebeu-se que cerca de 82% obteve sucesso ao desmame, sugerindo que PSV é um método seguro e eficaz na interrupção AVM. Contudo, por causa da amostra reduzida, o desenvolvimento de estudos semelhantes torna-se necessário.

Palavras-chave : Desmame; Ventilação mecânica; Avaliação.

        · resumo em Inglês     · texto em Português     · Português ( pdf epdf )

 

Creative Commons License Todo o conteúdo deste periódico, exceto onde está identificado, está licenciado sob uma Licença Creative Commons