SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.25 issue2Evaluation of the prevalence of osteoporosis and vertebral fractures in patients with chronic obstructive pulmonary diseaseDiastasis of the rectus abdominis in postpartum and its relation with obstetric variables author indexsubject indexarticles search
Home Pagealphabetic serial listing  

Fisioterapia em Movimento

Print version ISSN 0103-5150

Abstract

MORIMOTO, Tissiani  and  KAROLCZAK, Ana Paula Barcellos. Associação entre as alterações posturais e a respiração bucal em crianças. Fisioter. mov. [online]. 2012, vol.25, n.2, pp. 379-388. ISSN 0103-5150.  http://dx.doi.org/10.1590/S0103-51502012000200016.

INTRODUÇÃO: Durante o período de crescimento e desenvolvimento corporal, é possível que surjam alterações posturais que podem decorrer de uma respiração incorreta, por via bucal. OBJETIVOS: Verificar se a presença de alterações posturais tem relação com a presença da respiração bucal em crianças de segunda a quarta série do Ensino Fundamental. MATERIAIS E MÉTODOS: Participaram do estudo 117 crianças com idade média de 9,017 ± 0,851 anos, sendo 54 meninos e 63 meninas. A avaliação foi constituída por um questionário sobre sinais e sintomas da respiração bucal e uma avaliação postural fotogramétrica com software para Avaliação Postural (SAPO®). Para a análise da comparação entre os grupos, foram utilizados os testes t-student e Mann Whitney; e para a análise da associação, o teste Exato de Fisher. Foi considerado p < 0,05 como nível de significância. RESULTADOS: Em relação ao tipo de respiração, prevaleceu, de forma significativa, a respiração bucal em relação à nasal (p < 0,001). Quanto ao alinhamento vertical da cabeça, predominou a anteriorização em ambas as vistas. No que diz respeito à assimetria horizontal da escápula, houve predomínio da assimetria à esquerda e, para o alinhamento horizontal da pelve, predominou a anteroversão em ambas as vistas. Na medida do ângulo perna/retropé, prevaleceu o calcâneo valgo direito e esquerdo. As diferenças observadas entre os grupos, respirador bucal e nasal, não se mostraram significativas (p > 0,05). CONCLUSÃO: Foi encontrado um alto percentual de crianças com sinais e sintomas da respiração bucal e alterações posturais, porém sem relação entre os achados.

Keywords : Respiração bucal; Postura; Fisioterapia [Especialidade].

        · abstract in English     · text in Portuguese     · pdf in Portuguese