SciELO - Scientific Electronic Library Online

 
vol.29 número4Atuação do fisioterapeuta no NASF: percepção dos coordenadores e da equipeNormalização eletromiográfica da co-contração do vasto lateral e bíceps femoral durante a marcha de idosas índice de autoresíndice de assuntospesquisa de artigos
Home Pagelista alfabética de periódicos  

Serviços Personalizados

Journal

Artigo

Indicadores

Links relacionados

Compartilhar


Fisioterapia em Movimento

versão On-line ISSN 1980-5918

Resumo

BATISTAO, Mariana Vieira et al. Prevalência de variações posturais e fatores associados em crianças e adolescentes: um estudo transversal. Fisioter. mov. [online]. 2016, vol.29, n.4, pp.777-786. ISSN 1980-5918.  http://dx.doi.org/10.1590/1980-5918.029.004.ao14.

Introdução:

Variações posturais são frequentes na infância e podem causar dor e prejuízo funcional. Embora a prevalência de variações posturais em crianças já tenha sido avaliada, poucos autores investigaram a associação entre a postura e fatores intrínsecos e extrínsecos.

Objetivo:

Avaliar a prevalência de variações posturais em crianças e adolescentes e identificar fatores explicativos para estas variações, dentre eles: idade, gênero, dominância manual, índice de massa corporal (IMC) e atividade física, por meio da análise de regressão logística múltipla.

Métodos:

A postura de 288 estudantes foi avaliada de forma observacional. Os sujeitos tinham idades entre 6 a 15 anos, sendo 171 (59,4%) do sexo feminino. A idade média foi de 10,6 (2,4) anos, massa corporal de 38,6 (12,7) kg e altura de 1,5 (0,1) m. Utilizou-se balança digital, fita métrica, fio de prumo e formulários padronizados. Os dados foram analisados descritivamente, com o teste de Qui-quadrado e regressão logística (nível de significância - 5%).

Resultados:

A prevalência de anteriorização da cabeça foi de 53,5%; elevação do ombro 74,3%; assimetria entre as cristas ilíacas 51,7%; joelhos valgos 43,1%; hipercifose torácica 30,2%; hiperlordose lombar 37,2% e 66,3% de escápulas aladas. Os fatores associados foram idade, sexo, IMC e não realização de atividade física.

Discussão:

A prevalência de variações posturais foi alta. Os fatores escolhidos explicam parcialmente as variações posturais.

Conclusão:

Esses achados contribuem para a compreensão do desenvolvimento destas variações e para a proposição de programas preventivos e de reabilitação, considerando que entre os fatores analisados, alguns são modificáveis.

Palavras-chave : Prevenção de Doenças; Dor Lombar; Postura.

        · resumo em Inglês     · texto em Inglês     · Inglês ( pdf )